Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes de Ourém.

Segunda-feira, 20 de Junho de 2016
PAN CONVIDA MINISTRO DA EDUCAÇÃO PARA DEBATER MODELOS PEDAGÓGICOS ALTERNATIVOS
  • Conferência promove reflexão sobre o papel da educação no despertar de uma consciência de cidadania
  • Debater modelos educativos capazes de ajudar a formar e desenvolver uma consciência ética, empática e criativa
  • Análise de modelos alternativos – Estudo de Caso da Finlândia

O PAN – Pessoas-Animais-Natureza promove no dia 25 de Junho, Sábado, no Salão Nobre do Museu Nacional de Arqueologia - Mosteiro dos Jerónimos - pelas 14h30, uma conferência subordinada ao tema “Educar para Cuidar. A Educação enquanto transformadora de mentalidades”, que conta com o apoio da Direção Geral do Património Cultural e com a presença do Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues.

Esta iniciativa propõe uma reflexão sobre o papel da educação no despertar de uma consciência de cidadania que, ativamente, se oriente para a preservação do futuro da Humanidade e do Planeta.

Ao PAN e ao Ministério da Educação espera-se que possam juntar-se entidades representantes da sociedade civil, de outros partidos políticos, respetivos reguladores, ONGs entre outros, para refletir sobre uma escola inovadora que respeite a heterogeneidade e as necessidades específicas dos alunos e que envolva profissionais de educação, família e sociedade, num compromisso conjunto.

A base de uma sociedade desenvolvida e próspera centra-se na educação e esta só pode ter sucesso se capacitar cada indivíduo, respeitando as suas idiossincrasias. Existem já vários exemplos de sucesso, que serão abordados durante esta conferência.

O caso da Finlândia, um país conhecido por ter um dos melhores sistemas de educação do mundo, ocupando as posições de topo em várias disciplinas nos rankings PISA da OCDE. Especialistas e políticos de todo o mundo estudam o seu modelo, que privilegia a aprendizagem experimental e colaborativa, para perceber as suas particularidades e as replicar noutros países.

O objetivo deste encontro é debater modelos educativos capazes de ajudar a formar e desenvolver competências transversais, com temas ligados à cidadania, à proteção da natureza e aos direitos dos animais, que potencializem o desenvolvimento de uma consciência ética, empática e criativa.



publicado por Carlos Gomes às 21:46
link do post | favorito
|

Quarta-feira, 7 de Setembro de 2011
Semana da Educação Cristã aposta na transmissão da fé através da família

Seminário para dirigentes de escolas católicas e jornadas de catequistas integrados na Semana Nacional da Educação Cristã.

Lisboa, 07 Set. 2011 (Ecclesia) – A Semana Nacional de Educação Cristã, a decorrer de 2 a 9 de Outubro, terá como tema mobilizador «Educação Cristã e família».

Em declarações à Agência ECCLESIA, o diácono Acácio Lopes, Director do Secretariado Nacional da Educação Cristã, referiu que na última reunião da Comissão Episcopal da Educação Cristã, realizada esta terça-feira, em Aveiro, foi aprovada uma Nota Pastoral para Semana Nacional da Educação Cristã subordinada ao tema «Família, transmissão e educação da fé».

Integrada nesta semana, haverá um seminário para dirigentes de escolas católicas sobre «Projecto educativo institucional de escola católica», em Fátima, no próximo dia 5 de Outubro.

As jornadas de catequistas, a realizar de 7 a 9 do mesmo mês, em Fátima, abordará também o tema da educação e família porque – realça o Director – pretende-se “uma catequese mais inovadora e inter-geracional e mais próxima das famílias”.

No início deste mês, o site do Secretariado Nacional da Educação Cristã foi “renovado com novo grafismo” e contém os conteúdos do anterior e do site EMRCdigital.

O novo site tem “uma plataforma” que “permite outros voos” com conteúdos digitais para os docentes de EMRC – confidenciou.

Para o próximo tempos, a referida comissão vai avançar com “algumas propostas legislativas” relacionadas com a Educação Moral e Religiosa Católica e para tal vai pedir uma audiência ao secretário de Estado da Educação.

LFS

Fonte: http://www.agencia.ecclesia.pt/



publicado por Carlos Gomes às 18:08
link do post | favorito
|

Terça-feira, 15 de Março de 2011
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO VAI ENCERRAR QUATROCENTAS ESCOLAS

ALADA_~1

A Ministra da Educação, Drª Isabel Alçada, anunciou hoje o encerramento de mais quatrocentas escolas até ao final do corrente ano lectivo. Segundo as suas palavras, esta medida “vem beneficiar alunos e professores”.

De acordo com a ministra, “o nosso país está a avançar muito no que respeita a Educação pelo facto de ter uma rede de centros escolares muito expressiva e as autarquias estão a continuar a construir centros escolares”.

Com o fecho destas 400 escolas, o actual governo totaliza 3.200 escolas encerradas em todo o país. Entretanto, após o seu encerramento, muitos destes edifícios continuam sem qualquer utilização, facto que prenuncia o seu futuro abandono e degradação.



publicado por Carlos Gomes às 14:53
link do post | favorito
|

Terça-feira, 11 de Janeiro de 2011
BISPOS DEFENDEM LIBERDADE DE ESCOLHA NO ENSINO

O Conselho Permanente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) reuniu hoje em Fátima para reflectir acerca das últimas decisões governativas no campo do Ensino Particular e Cooperativo em Portugal.

Após o encerramento dos trabalhos, o Padre Manuel Morujão, porta-voz da CEP, sublinhou a “grande preocupação” dos bispos portugueses relativamente a esta matéria, num momento em, disse, as novas regras de financiamento cortam 10% às verbas do Ensino Público e 30% às verbas do Ensino Particular e Cooperativo.

Lembrou ainda que “quando falamos de Ensino Particular e Cooperativo não falamos de um gueto, para umas tantas pessoas abastadas e que podem financiar esse ensino. Estamos a falar num espectro largo de cerca de cem escolas, com milhares de alunos, que envolvem milhares de pais e também milhares de professores e funcionários. Então, é um serviço público do ensino particular”.

De acordo com as palavras do Padre Manuel Morujão, os bispos portugueses consideram que está em causa a própria Democracia. Trata-se de “um dever do Estado favorecer esta liberdade que devem ter os pais de poder escolher a educação, e, consequentemente, a escola que desejam para os seus filhos. Mais ligada a esta ou àquela ideologia, confissão religiosa ou agnóstica ou ateia”, disse o P. Morujão, sublinhando que os bispos portugueses visam “promover a liberdade de escolha dos pais”.

O Padre Manuel Morujão vincou por diversas vezes a importância da questão da “liberdade prática” que consiste nos pais poderem escolher o tipo de ensino que pretendem para os seus filhos, realçando que o Ensino Particular fica menos dispendioso para os cofres do Estado do que o Ensino Público.

Os bispos portugueses pretendem que “as instâncias governativas abram o coração e a inteligência para esta realidade de dezenas e dezenas de escolas terem que fechar, causando problemas e instabilidade social" e alertam para o "retrocesso não democrático" que o país pode sofrer nesta matéria.

 

Fonte: Sala de Imprensa do Santuário de Fátima

citações: http://o.castelo.vai.nu/miradouro/



publicado por Carlos Gomes às 18:13
link do post | favorito
|

Terça-feira, 23 de Novembro de 2010
“Manual de Sobrevivência para Professores”

ESCOLA PROFISSIONAL DE OURÉM DINAMIZA TERTÚLIA COM JOÃO LÁZARO

Decorreu no passado dia 19 de Novembro uma Tertúlia dedicada ao tema “Manual de sobrevivência para professores”, a qual teve lugar na Escola Profissional de Ourém. João Lázaro, psicólogo clínico, actor, encenador, professor e um amigo muito especial deste estabelecimento de ensino foi o convidado para dar o mote á conversa que reuniu à sua volta numerosos interessados no tema.

Joao lazaro

Trata-se de um debate bastante actual. Como poderão sobreviver os professores numa época em que o seu papel é constantemente colocado em causa por alunos, pais e pela sociedade em geral, para além do próprio Ministério da Educação. Como poderão os professores adaptar-se a este novo paradigma e prepararem-se para enfrentar alunos cada vez mais irreverentes, inconformados com os actuais sistemas de ensino, mais protegidos pelos seus pais, com mais acesso a todo o tipo de informação e muito mais aptos a lidar com as questões dos avanços tecnológicos?

É um desafio… um grande desafio.

Pelo que foi dito ao longo da tertúlia, os professores têm que compreender que os alunos são naturalmente curiosos e criativos e os professores têm que aprender a utilizar em proveito da aprendizagem essas suas características. Muito mais do que meros transmissores de conhecimentos, os professores deverão saber conduzir os seus alunos pelas muitas formas de adquirir conhecimentos que existem hoje disponíveis, das quais a internet é, sem dúvida, o ex-líbris. O aluno deve ser sempre considerado como um todo. O professor deve olhar o aluno não apenas da sua vertente de aprendente, mas sim e sobretudo da sua vertente pessoal, familiar e social. Todos os temas a abordar na sala de aula são importantes. E muitas vezes, abordar temas apenas relacionados com os interesses dos alunos, fugindo aos temas da aula acabam por ser tão ou mais importantes na formação pessoal e cívica do aluno. É preciso saber ouvi-los. É preciso saber discutir ideias com eles. É preciso deixá-los colocar em causa os ensinamentos, as regras sociais, os papéis de todos os actores. É necessário deixá-los ser adolescentes com tudo o que isso implica de complexidade, de irreverência, de procura pelo seu lugar na sociedade.

O papel do professor é aqui fundamental.

Mas como deve ser o professor? Como se deve comportar? O que esperam os alunos dos seus professores?

João Lázaro trouxe-nos uma visão interessante a este respeito. Os alunos querem professores exigentes e rigorosos. Respeitam e apreciam professores que sabem exigir, professores com os quais sentem que aprendem, independentemente de os considerarem ou não “tipos porreiros”.

Ao invés, rejeitam e até ridicularizam aqueles professores que se tentam aproximar deles utilizando o mesmo tipo de linguagem ou o mesmo tipo de comportamento. Não respeitam os professores que se esforçam para serem bem vistos pelos alunos e que colocam em causa o rigor e a aprendizagem. E por fim, marginalizam aqueles que não são coerentes, que dizem uma coisa mas que têm comportamentos contrários, ou que hoje impõem algumas regras, para no dia seguinte as mudarem por completo.

Também aqui o papel dos pais é fundamental e há que saber trazê-los à escola. Há que saber transmitir-lhes a importância de uma boa educação, porque são muitas vezes eles os primeiros a menosprezarem os estudos dos seus filhos e uma educação assente em bases sólidas e diversificadas. E aqui cabe à Escola mudar os seus próprios procedimentos e não chamar à Escola os pais apenas quando os filhos têm problemas comportamentais ou de aprendizagem. Há que dar importância às coisas boas que os filhos são capazes de fazer. Às coisas positivas. Aos trabalhos bem-feitos. Às opiniões pertinentes. Ao envolvimento em actividades da Escola. À defesa de colegas. Às boas notas. E a tantas outras coisas. Porque será que no nosso ensino apenas se dá importância aos aspectos negativos, relegando para segundo plano e até mesmo para o esquecimento tudo o que os alunos alcançam de bom?

Há que conseguir também, e de formas inovadoras, deixando os antigos e pesados métodos de ensino de vez no passado, motivar, envolver os alunos, mostrar-lhes o quanto uma boa base educativa os prepara para enfrentar um futuro que nem sempre é risonho. E aqui há que aproveitar o papel dos Delegados de Turma. Eles podem ser agentes de mudança… de mudança na mentalidade dos colegas, porque normalmente são líderes, não jovens com capacidade de impor as suas ideias junto dos colegas. Normalmente são jovens predispostos a ouvir a Escola e os seus actores e há que saber aproveitar esta predisposição em benefício dos próprios alunos e da sua aprendizagem.

Novos paradigmas se impõem ao Ensino. Paradigmas que tardam a ver implementação nas Escolas portuguesas, mas que urge mudar sob pena de estarmos a educar seguidores e não pessoas aptas, capazes de imporem as suas próprias ideias, pessoas capazes de construir um futuro questionando-o e obrigando-o a evoluir.

 

citações: http://o.castelo.vai.nu/miradouro/



publicado por Carlos Gomes às 15:09
link do post | favorito
|

Terça-feira, 16 de Novembro de 2010
MUNICÍPIO CONTESTA REDUÇÃO DE APOIO AOS COLÉGIOS DE FÁTIMA

O Presidente da Câmara Municipal de Ourém, Dr. Paulo Fonseca, escreveu à Ministra da Educação, contestando a redução de apoios aos Colégios que operam na Freguesia de Fátima, solicitando uma reunião urgente com vista a resolver a situação. O AUREN transcreve na íntegra o teor do ofício endereçado à Ministra da Educação.

“Excelência,

Fátima, localidade que dispensa apresentações, é uma das freguesias do concelho de Ourém.

Nesta localidade não existe escola pública na verdadeira acepção da palavra, havendo três colégios – CEF, Colégio de S. Miguel e Colégio do Sagrado Coração de Maria – os quais funcionam em regime de contrato de convenção com o Ministério da Educação.

Não são escolas de elite ou referenciados em qualquer classificação social quanto aos seus utentes alunos. São as escolas que existem, desde sempre, onde é ministrada educação completa, universal e transversal, sendo frequentados, nos termos da Lei, por alunos que têm as suas origens nos mais diversos “estratos” sociais e onde atestamos a elevadíssima qualidade educativa conforme se pode confirmar pelos rankings de análise das escolas.

Não há lugar ao pagamento de propinas nem vislumbramos qualquer diferença com as escolas oficiais no que se refere a essa matéria. São, portanto, escolas de vocação pública pois atendem todos os alunos na sua área de influência – todos, sem excepção.

Recentemente fomos alertados para que, na sequência dos cortes orçamentais previstos para 2011, a chamada escola pública sofreria um corte global de cerca de 11 % enquanto estes colégios de vocação pública teriam cortes de cerca de 30%, com retroactivos a Setembro último.

Com o devido respeito, trata-se de uma situação lamentável e inaceitável.

Tal decisão, a verificar-se, levará a despedimentos de professores e funcionários e ao encerramento de algumas turmas, senão das próprias escolas, já no presente ano lectivo.

A verificar-se tal situação, ficaremos perante um dilema de actuação que não queremos antecipar mas que, naturalmente, implicará algo de muito indesejável para todos nós.

Pergunta-se:

- não havendo escola pública em Fátima, como irá o ministério resolver o problema da obrigação de facultar educação aos alunos desta área? Em concreto, onde pensa enquadrar os alunos: sobrelotando os estabelecimentos públicos existentes, sendo o mais próximo na sede do concelho, a 12 Km, ou construindo novas instalações?

- onde serão colocados os alunos, uma vez que as escolas públicas próximas existentes no concelho estão plenamente lotadas? (*)

- que contributo para a estabilidade escolar e, bem assim, das famílias, poderemos garantir neste cenário de tratamento diferenciado de pessoas?

Não compreendemos esta situação e não estaremos disponíveis para responder com tranquilidade a esta dualidade de critérios que “corta” 11 % a uns e 30 % a outros. Como poderemos justificar os despedimentos de professores e funcionários nos diversos colégios em causa? Que contributo para a estabilidade escolar e, bem assim, das famílias, poderemos garantir neste cenário de tratamento diferenciado de pessoas?

Nesse sentido, solicito uma reunião com carácter de urgência a fim de tratar este grave problema.

Com os melhores cumprimentos,

O PRESIDENTE DA CÂMARA,

Paulo Fonseca “

 

citações: http://o.castelo.vai.nu/miradouro/



publicado por Carlos Gomes às 16:26
link do post | favorito
|

Quarta-feira, 10 de Novembro de 2010
MANUAL DE SOBREVIVÊNCIA PARA PROFESSORES

INSIGNARE dinamiza Tertúlia com a presença de João Lázaro

insignare

Por iniciativa da INSIGNARE, vai no próximo dia 19 de Novembro, pelas 21 horas, ter lugar na Escola Profissional de Ourém uma tertúlia direccionada a todos os professores. A sessão tem como tema “Manual de sobrevivência para professores” e tem como convidado João Lázaro, homem de muitas funções, mas que neste dia nos falará da sua experiência enquanto psicólogo clínico, professor e director pedagógico.

Se há décadas atrás a profissão de professor era uma das profissões mais ilustres, respeitada, inclusive com bastante influência nos destinos e opiniões da comunidade onde se inseria, actualmente esse cenário inverteu-se completamente.

A juntar a essa perca de protagonismo e de valorização profissional juntam-se alunos cada vez mais irreverentes, com graves problemas comportamentais, e as condições de trabalho que todos, tão bem conhecemos.

Este será um espaço criado para reflexões, para balanço de comportamentos e ajuste de atitudes a tomar na área do ensino.

 



publicado por Carlos Gomes às 11:46
link do post | favorito
|

Quarta-feira, 27 de Outubro de 2010
Visita à Escola da Atouguia teve um “carácter pedagógico”

- afirmou o Dr. Paulo Fonseca, apelando para que “toda a comunidade educativa siga as regras estabelecidas e faça chegar as suas sugestões, anseios e dificuldades junto do agrupamento a que pertencem, para que a informação tenha um só canal e não se disperse”.

Atouguia

Em virtude de alguns rumores surgidos na sequência da realização de um almoço de angariação de fundos para a Escola da Atouguia, o Presidente da Câmara Municipal de Ourém, Dr. Paulo Fonseca, efectuou uma visita àquele estabelecimento de ensino a fim de se inteirar da eventual veracidade dos boatos colocados a circular.

Acompanhado pelo Vereador com o pelouro da educação, José Manuel Alho, e pelo presidente do Agrupamento IV Conde de Ourém, Jorge Portugal, o Dr. Paulo Fonseca pode constatar de perto a realidade e, desse modo, desfazer possíveis confusões que se vinham a alimentar. Como referiu, é preciso “colocar um ponto final ao boato e à balbúrdia instalada. A Câmara tem um interlocutor único, no que às escolas diz respeito, que é o agrupamento e as regras têm de ser cumpridas”.

Desta forma, resultou a clarificação relativa aos pontos de intervenção na Escola da Atouguia, a qual aliás “já planeada e que será concretizada em breve pela brigada da VerOurém, que tem a seu cargo a manutenção dos espaços e equipamentos geridos por esta Entidade Municipal”.

De referir que aquela escola recebeu melhorias ainda durante o anterior executivo camarário, não sendo por isso considerada no âmbito da gestão da rede escolar do Concelho de Ourém como uma prioridade para a realização de grandes intervenções. Trata-se, como o autarca referiu, “de calafetar as janelas para evitar que a humidade afecte o normal funcionamento das aulas, retirar a caixa de areia do espaço do recreio e colocação de grades de segurança a delimitar o espaço da escola”. Espera-se, pois, que todas as reclamações que se reconhecem como legítimas sejam encaminhadas pelas vias próprias a fim de que produzam o melhor resultado para a comunidade escolar e para o bom relacionamento social que se pretende em Ourém.



publicado por Carlos Gomes às 18:40
link do post | favorito
|

Segunda-feira, 25 de Outubro de 2010
Paulo Fonseca visita Escola da Atouguia

Dr Paulo Fonseca

O Presidente da Câmara Municipal de Ourém, Dr. Paulo Fonseca, desloca-se amanhã, dia 26 de Outubro, à Atouguia a fim de se inteirar das condições de funcionamento da escola daquela localidade. A acompanhá-lo estarão presentes o Vereador com o Pelouro da Educação, Dr. José Alho, o Director do Agrupamento IV Conde de Ourém e alguns jornalistas convidados.
Na origem desta decisão encontram-se algumas informações que têm vindo a ser veículas relativamente às condições infraestruturais daquele estabelecimento de ensino.

citações: http://o.castelo.vai.nu/miradouro/



publicado por Carlos Gomes às 19:31
link do post | favorito
|

Segunda-feira, 11 de Outubro de 2010
Semana Nacional da Educação Cristã em Fátima
O Estado, ideológico e omnipresente, pretende controlar todo o processo de educação
- afirmou o Padre Virgílio Antunes, Reitor do Santuário de Fátima, durante a Semana Nacional da Educação Cristã subordinado ao tema "Tornai as vossas vidas lugares de beleza". Aquelas jornadas de reflexão decorreram em Fátima, entre os dias 3 e 10 de Outubro e procuraram mostrar e dar visibilidade à Educação Cristã em Portugal.
Padre Virgílio Antunes
O nosso país e o mundo encheram-se de escolas, que são necessárias, mas não resolvem a questão da educação integral do ser humano. A família, ocupada com as questões económicas, obcecada pelas questões administrativas e marcada pelo desejo de ter e desfrutar dos bens pelos quais se mede a dignidade das pessoas, deixou as tarefas educativas para segundo plano ou, então, delegou na escola e no Estado essa sua nobre missão. O Estado, ideológico e omnipresente, pretende controlar todo o processo de educação e a propor um único projecto de educação, recusando na prática e c ada vez mais às famílias a possibilidade de escolher o modelo educativo que mais lhes interessa”, afirmou o Padre Virgílio Antunes durante a homilia dominical de 10 de Outubro, celebrada no Recinto de Oração do Santuário de Fátima.
Na sua análise, o Reitor considera que as últimas décadas “têm cavado um autêntico fosso educativo, tanto na escola, como na família e até na Igreja”.
Este responsável lamenta também a falta de ética proposta pelo modelo de educação sexual: “E não é por se educar para a liberdade, pois toda a educação tem de ser para a liberdade e na liberdade. É sobretudo por se educar na irresponsabilidade e para a irresponsabilidade, bem flagrante nos últimos tempos no modo como se propõe a educação sexual nas escolas sem uma dimensão ética, e contrariando tantos dos princípios de muitas famílias”.
Alicerçada na palavra do Senhor, hoje escutada, a educação da fé e a educação humana feita em ambiente cristão e sob inspiração cristã, têm de ser diferentes, têm de romper com um conjunto de preconceitos e propor ao mundo caminhos novos e ousados”, alertou também.
O Reitor adiantou no entanto alguns tópicos para o êxito do processo educativo, que, disse, “carece do sentido da gratidão aos homens e a Deus”, e, por isso, “é chocante vermos as crianças a crescer como se fossem o centro do mundo, a exigir aos pais tudo o que podem e não podem dar-lhes, e os pais a ceder, incapazes de resistir diante do poder avassalador da moda e do desejo de serem como todos os outros”.
No processo educativo é fundamental a acção de todos: dos pais, da escola, da sociedade; mas, acima de tudo, é fundamental a acção dos educandos, num clima de liberdade e de responsabilidade assumida. Numa família, numa escola, numa sociedade ou numa Igreja em que nada se exige e em que se recebe tudo feito, sem trabalho e sem esforço, não se educam pessoas para aguentar o peso da vida, nem para a dádiva de si mesmas na solidariedade e no amor, mas deixam-se crescer pessoas predispostas para tudo exigir dos outros, da família, da sociedade ou da Igreja”, disse o Padre Virgílio Antunes.

citações: http://o.castelo.vai.nu/miradouro/



publicado por Carlos Gomes às 20:25
link do post | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Setembro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


posts recentes

PAN CONVIDA MINISTRO DA E...

Semana da Educação Cristã...

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO VA...

BISPOS DEFENDEM LIBERDADE...

“Manual de Sobrevivência ...

MUNICÍPIO CONTESTA REDUÇÃ...

MANUAL DE SOBREVIVÊNCIA P...

Visita à Escola da Atougu...

Paulo Fonseca visita Esco...

Semana Nacional da Educaç...

arquivos

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

tags

todas as tags

links
Twitter
blogs SAPO
subscrever feeds