Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes de Ourém.

Segunda-feira, 5 de Setembro de 2016
OURÉM: OS MISTÉRIOS DA SINAGOGA QUE ESTA SEMANA INSPIRA O FESTIVAL JUDAICO

12027698_1197746446907864_130601623784209795_n.jpg

Cláudia Gameirohttp://www.mediotejo.net/

Os vestígios de uma antiga sinagoga em Ourém começaram a ser referidos por historiadores locais há cerca de 30 anos e chegaram a estar incluídos nos roteiros turísticos. O atual executivo municipal decidiu agora apostar no seu estudo, expropriando o terreno para fins públicos de investigação e dedicando o Festival de Setembro deste ano à diáspora e cultura judaica. Mas há mais dúvidas que certezas em torno destas ruínas, bem como da comunidade que a usaria, na antiga vila medieval.

IMG_4711.jpg

Edifício em ruínas evidencia a existência prévia de dois arcos em ogiva. Terá sido uma antiga sinagoga? Foto: mediotejo.net

 

São dois arcos ogivais incrustados num edifício em ruínas, que poderão fazer ter feito parte de uma antiga sinagoga. Os vestígios encontram-se por trás da Pousada Conde de Ourém e são há muito conhecidos de historiadores e instituições locais, mas não existem referências históricas sólidas da sua existência na vila medieval. Em tempos, alertou o historiador e blogger Carlos Gomes ao mediotejo.net, o Turismo chegou a ter uma brochura em que estes arcos vinham mencionados, mas o património foi completamente esquecido nas rotas turísticas, sem qualquer tipo de promoção.

Na sua segunda edição, o Festival de Setembro decidiu apostar na cultura judaica. Questionado a respeito da escolha deste tema, o presidente da Câmara de Ourém, Paulo Fonseca, explicou ao mediotejo.net ter-se devido à identificação recente de “uma antiga sinagoga em ruínas”, tendo-se decidido avançar na sua promoção e estudo. Na reunião camarária de 2 de setembro, sexta-feira, todo o elenco votou favoravelmente a expropriação do terreno para fins públicos.

Para Paulo Fonseca, esta será uma forma de fomentar a “valorização patrimonial” da vila e o turismo judaico. “Tínhamos indicação histórica da existência de uma sinagoga”, explicou, e quer-se agora apostar neste novo factor de atratividade, que conta com o apoio da Fundação Oureana.

Mas, apesar de serem recentes na memória do atual executivo municipal, estes vestígios foram descobertos por Carlos Evaristo, presidente da Fundação Oureana, há perto de 30 anos. Arqueólogo de formação, o responsável contou ao mediotejo.net que se apercebeu da importância das ruínas quando começaram a fazer as obras no antigo Hospital (do outro lado da mesma rua), para o converter na Pousada. As marcações e os movimentos de terras fizeram cair o estuque do edifício degradado próximo, que formava aparentemente uma porta quadrada, e surgiram os arcos.

“Ando a lutar por isto há mais de 25 anos”, comenta Carlos Evaristo, mas na época, inícios dos anos 90, reconhece que não foi levado a sério. Ainda assim, procurou consultar comunidades judaicas e a associação dos sefarditas nos EUA, em busca de apoios para a investigação, e adquirir o imóvel. Mas os proprietários, narra Carlos Evaristo, nunca quiseram vender. O projeto foi morrendo e caiu no esquecimento coletivo.

“Fui fortemente criticado porque diziam que não havia indícios de judiarias em Ourém”, explica. Segundo o arqueólogo, eram necessárias 10 famílias para que a comunidade fosse considerada uma judiaria e em Ourém (saliente-se, a comunidade que vivia junto ao Castelo) só existiriam sete. Pessoas que foram apadrinhadas por D. Afonso, IV Conde de Ourém (1400-1460), ao tornar-se senhor das judiarias, que estiveram ligadas, afirma Carlos Evaristo, à construção da Colegiada e ao Paço dos Condes (estrutura anexa ao Castelo medieval). “Sabemos que [D.Afonso] esteve envolvido na Sinagoga de Tomar e que albergava judeus foragidos de Castela”, relata, devido à perseguição pelos Reis Católicos. “Os judeus sentiam-se tão protegidos por ele que construíram a cripta, inspirada na sinagoga de Tomar”, relata.

Mas a existência desta comunidade judaica terá sido curta. No reinado de D.Manuel I (1495-1521), o Rei mandou expulsar os judeus e muitos foram obrigados a converter-se ao cristianismo (os chamados cristãos-novos). Uma das ações do reino foi destruir e/ou esconder os símbolos religiosos, sendo essa a razão, aponta Carlos Evaristo, para o segundo arco ogival estar emparedado (o primeiro é uma porta).

Carlos Evaristo está convicto da existência de uma judiaria, ainda que com poucas famílias, em Ourém. Um dos seus argumentos é uma antiga Botica (um dispensário ou farmácia) na entrada secundária da vila medieval. Num velho edifício em ruínas, encontrou vestígios de loiças ligadas a estas antigas farmácias e plantas que não são naturais de Ourém. Conhecedora de especiarias e ervas medicinais, terá sido a comunidade judaica fugida de Castela a trazer aquelas espécies. “No século XVII haviam Cristãos-Novos com a profissão de ‘Idiotas’ que eram barbeiros, sangradores, curandeiros e boticários”, adianta.

IMG_4722.jpg

Num velho edifício em ruínas, Carlos Evaristo encontrou artefatos de uma antiga farmácia. Reconstruiu o espaço e criou um museu com os seus achados na vila medieval de Ourém. Foto: mediotejo.net

 

No local, o arqueólogo reconstruiu o edifício e criou um museu com os seus achados na vila medieval. Um dos elementos mais interessantes é uma pedra esculpida com a Cruz de Cristo, que afirma ter encontrado perto dos vestígios da sinagoga, onde por trás descobriu uma estrela de David.

IMG_4730.jpg

Numa pedra com a Cruz de Cristo, Carlos Evaristo descobriu por trás a estrela de David. Foto: mediotejo.net

 

A Fundação Oureana é uma instituição criada por John Haffert (fundador do Exército Azul de Nossa Senhora de Fátima e grande amigo da Irmã Lúcia), que nos anos 40 se fixou na vila e procurou promover o seu património histórico. Presidente da instituição, Carlos Evaristo mostra-se satisfeito por a Câmara de Ourém ter finalmente decidido apostar na sinagoga.

Já Carlos Gomes refere que a sinagoga terá sido destruída no terremoto de 1755, e novamente nas invasões francesas, razão pela qual ambos os arcos ficaram totalmente escondidos. Indica inclusive dois livros que mencionam a existência da sinagoga e de uma comunidade judaica em Ourém: o “Olho de Vidro”, novela de Camilo Castelo Branco, e “Ourém – Três contributos para a sua história”, editado pelo município em 1988.

O historiador reflete sobre a importância dos judeus em Ourém e Portugal: “Os judeus constituíam uma comunidade, vivendo no burgo medieval, e integrada com êxito entre a população de cristãos-velhos. Hoje nada a distingue. São os Oliveiras, que há muito em Ourém, os Silvas, Pereiras, castelões, etc”.

Já o Professor universitário Paulo Mendes Pinto, especialista em Ciência das Religiões e coordenador do projeto “Dicionário Histórico dos Sefarditas Portugueses”, mostra algumas reticências em comentar os vestígios, uma vez que desconhece o local e as suas características. “Há indícios de uma comunidade medieval” em Ourém, referiu ao mediotejo.net, e até processos de pessoas levadas ao Tribunal do Santo Ofício por “judaísmo”. Pelo que “é plausível que tenha havido” uma comunidade judaica na localidade, constata.

Há características que só podem ser identificadas conhecendo os vestígios pessoalmente, frisa o especialista. “O espaço de Tomar não levanta dúvida nenhuma”, afirma, uma vez que há vários documentos e inscrições que atestam ser aquela uma antiga sinagoga. Já em Castelo de Vida, comenta, é apenas um armário onde se guardaria a Torá. “Há coisas muitos variadas”, explica.

Não havendo estudos aprofundados em torno dos vestígios de Ourém, coloca dúvidas. “Na Península Ibérica, todos os espaços de antigas sinagogas não tinham essas portas”, refere. Além disso, “muitas das casas do século XV tinham uma porta grande e uma pequena”.

O mediotejo.net contactou a Rede de Judiarias de Portugal para pedir um comentário sobre o Festival de Setembro e a sinagoga de Ourém, mas a instituição informou que não tinha conhecimento nem dos vestígios nem da iniciativa.

Fundação Rothschild quer estudar vestígios judaicos

Durante a reunião de 2 de setembro, no momento da votação da expropriação, um morador da vila medieval, David Pereira, veio em nome da Fundação Rothschild apresentar a disponibilidade da instituição para estudar os vestígios. “É apenas uma proposta que ainda terá que ser discutida”, explicou ao mediotejo.net.

rc-ourém-2-set-4.jpg

Durante reunião camarária de 2 de setembro foi aprovada a expropriação para interesse público do imóvel onde se encontram vestígios de uma antiga sinagoga. Foto: mediotejo.net

 

Paulo Fonseca manteve a mesma postura, referindo que ainda é uma questão a ser analisada.

O nome Rothschild é de origem alemã e está associado a uma das mais poderosas famílias da revolução industrial, tendo no século XIX chegado a alcançar a maior fortuna privada do mundo e o título de Barão no Reino Unido. É neste país que a Fundação Rothschild está atualmente sediada, apesar de haver braços da família espalhados por toda a Europa, dedicada à filantropia e caridade. Considerada uma autêntica dinastia, os Rothschild estiveram também ligados ao movimento sionista que promoveu a criação do Estado de Israel.

Festival de Setembro traz Rodrigo Leão

Em 2014 a Fundação Casa de Bragança, na ocasião presidida por Marcelo Rebelo de Sousa, passou a gestão do Castelo de Ourém para o município, procurando-se assim apostar na sua promoção. Foi ainda anunciada uma requalificação do Castelo, que está ainda a aguardar investimento comunitário. Das iniciativas nascidas deste protocolo está o Festival de Setembro.

O cabeça de cartaz deste ano é o compositor Rodrigo Leão, que vai atuar no palco do Castelo de Ourém às 21h30 de 11 de setembro, domingo. Mas o Festival vai decorrer ao longo do fim-de-semana, com uma conferência sobre a herança judaica a decorrer às 15h30 de dia 10, sábado, na Galeria da vila medieval, e os Melech Mechaya e Pás de Probléme a atuarem a partir das 22 horas. Música sefardita, gastronomia, o lançamento do livro “Inquisição em Ourém”, ou mostras de cinema com documentários são outras das propostas, todas gratuitas.



publicado por Carlos Gomes às 21:20
link do post | favorito
|

Terça-feira, 7 de Junho de 2016
TV OUREENSE COMEMORA 2 ANOS DE EMISSÃO ON-LINE

A TV Oureense festeja neste momento o seu 2º aniversário. A comemoração tem lugar no Consolata Museu, em Fátima, no âmbito do “Chá com Arte”. À volta do bolo de aniversário estão José Alves, Pedro Redol e Gonçalo Cardoso. E a festa está a ser transmitida em direto através da AUREN TV, no Canal 585132 do MEO Kanal ou no facebook emhttps://www.facebook.com/aurentv/?fref=ts

13396555_1175346432489657_248186030_o.jpg

Há precisamente dois anos, às 23 horas do dia 6 de junho de 2014, surgia na Internet um canal de televisão a pugnar pela informação regional ao serviço de Ourém e do seu concelho: a AUREN TV!

A iniciativa pertence ao oureense José António Neves Alves que é o criador, produtor, realizador, repórter amador de serviço deste projeto audiovisual que visa promover e divulgar o potencial do concelho de Ourém e da região para despertar o entusiasmo das pessoas para nos visitar e também gostarem sempre cá voltar.

A semelhança com a denominação do blogue AUREN é pura coincidência! De comum, têm o interesse e a dedicação pelo concelho de Ourém, devendo-se a escolha de tão vetusto nome ao orgulho que nutrem por pertencerem a uma das mais antigas vilas do nosso país, melhor dizendo da nossa Pátria!

Mas, deixemos que seja o seu próprio mentor, o sr. José Alves, a falar deste projeto:

“Como sabemos Ourém tem mais de 800 anos História, há atrações turísticas no concelho como: Praia Fluvial do Agroal, Fonte das 7 Bicas na freguesia de Urqueira, Vila Medieval de OURÉM, a cidade de Ourém, as Pegadas de dinossáurios no Bairro, o santuário de Nossa Senhora da Ortiga, as casas dos Pastorinhos em Aljustrel, Santuário de Fátima e Capelinha das Aparições. Claro que faltará referenciar a boa gastronomia regional, o bom vinho da região e desfrutar das belas Quintas.

Assim surgiu a ideia de criar este projecto de comunicação recorrendo às novas tecnologias actuais, através duma página de facebook e também desde 1 de Agosto 2015 dum canal de televisão do MEO Kanal 585132.

Para finalizar quero agradecer a todos a vossa estimada preferência, muito obrigado!”



publicado por Carlos Gomes às 00:00
link do post | favorito
|

Segunda-feira, 23 de Maio de 2016
REVISTA “FOLKLOURES” DIVULGA RANCHO DO OLIVAL

O Rancho Folclórico “Os Moleiros da Ribeira” do Olival – Ourém possui destaque de página inteira na revista “FolkLoures”, uma publicação que se destina à divulgação de todos os grupos e entidades participantes no Encontro de Culturas “Verde Minho” que, a partir deste ano, passou a usar a marca “FolkLoures”. O artigo inclui ainda duas imagens do Rancho Folclórico que, no próximo dia 28 de Maio, vai representar Ourém e a região da Alta Estremadura naquele evento que se realiza no concelho de Loures.

A revista que iniciou a sua publicação o ano passado, é editada pelo Rancho Folclórico Danças e Cantares “Verde Minho”, o grupo anfitrião do FolkLoures.

Para além da apresentação dos diversos grupos folclóricos, a revista reproduz na capa uma pintura Alfredo de Morais retratando a Festa de Nossa Senhora d’Agonia, em Viana do Castelo, insere abundante publicidade dos seus patrocinadores e publica como nota de abertura um artigo da autoria do Presidente da Câmara Municipal de Loures, Dr Bernardino Soares, para além de outras entidades ligadas ao folclore e ao associativismo popular.

Esta iniciativa constitui um bom exemplo daquilo que poderia ser feito no concelho de Ourém em prol da divulgação da sua cultura tradicional, assim consigam as autarquias locais, os grupos folclóricos e outras entidades conjugar esforços para a sua afirmação.



publicado por Carlos Gomes às 20:41
link do post | favorito
|

Quinta-feira, 5 de Maio de 2016
JORNAL "CORREIO DA MANHÃ" DESTACA NOVO "MILAGRE DO SOL" EM OURÉM

z

z1



publicado por Carlos Gomes às 08:33
link do post | favorito
|

Quarta-feira, 2 de Março de 2016
GONDEMARIA DISTRIBUI "A VOZ DA ALDEIA"



publicado por Carlos Gomes às 10:25
link do post | favorito
|

Sábado, 13 de Fevereiro de 2016
DIA MUNDIAL DA RÁDIO CELEBRA-SE HOJE E O BLOGUE “AUREN” ELEGE A RÁDIO DO FOLCLORE PORTUGUÊS PARA ASSINALAR A EFEMÉRIDE

Celebra-se hoje, dia 13 de fevereiro, o Dia Mundial da Rádio. A data foi em 2011 declarada pela UNESCO em virtude de ter sido neste dia, no longínquo ano de 1946, que a United Nations Radio emitiu pela primeira vez um programa radiofónico para seis países em simultâneo. Este ano, a data será celebrada em alusão ao seu papel em situações de desastres e emergência social.

554359_383265078376921_1372495359_n

Desde o seu aparecimento, a radiofonia acompanhou os grandes acontecimentos mundiais e prestou valioso auxílio às populações em situações de guerra e catástrofes. Com o aparecimento das novas tecnologias soube adaptar-se e continua a cumprir a missão que lhe é destinada. Mais ainda, tornou-se um meio ao alcance das comunidades locais para dar conhecer o seu património histórico e cultural, mormente o folclore e a etnografia das suas gentes.

z

E, porque hoje é o Dia Mundial da Rádio, elegemos a Rádio do Folclore Português como um dos melhores veículos de divulgação da nossa cultura tradicional.

A emitir há 11 anos através da Internet no endereço www.rfpfolclore.com, a Rádio do Folclore Português tem sido a voz da cultura e das tradições portuguesas a transmitir via Internet para todo o mundo.

Esta estação radiofónica entra-se licenciada pela Sociedade Portuguesa de Autores e mantém padrões de qualidade invulgares, sobretudo quando comparadas com outras iniciativas do género no Internet e até nas ondas hertzianas no panorama das rádios locais.

A Rádio do Folclore Português (RFP) surgiu em Abril de 2005, para combater uma lacuna na radiodifusão da música folclórica e da etnografia em geral

Assim, difunde e divulga a música tradicional portuguesa e música folclórica. A etnografia e folclore são temas de aprofundamento nomeadamente através da realização de entrevistas a dirigentes de agrupamentos folclóricos.

A RFP é uma estação radiofónica temática na internet sediada em Coimbra, com estúdios também em Vila Nova de Gaia, Castelo Branco e nos Estados Unidos da América, a transmitir via internet.

A sua programação tem por base a música tradicional e folclórica e a informação sobre esta área temática. A sua filosofia é que tudo tem o seu tempo, e que no global há tempo para tudo. É isso que pretendem mostrar ao ouvinte.

logo



publicado por Carlos Gomes às 00:36
link do post | favorito
|

Quarta-feira, 6 de Janeiro de 2016
REITOR DO SANTUÁRIO DE FÁTIMA REÚNE COM COMUNICAÇÃO SOCIAL

Pe Carlos Cabecinhas reúne com sacerdotes e orgãos de comunicação social ligados à recitação do terço

O Reitor do Santuário de Fátima pediu hoje aos sacerdotes que presidem e animam a recitação do Terço diariamente na Capelinha das Aparições, às 18h30, que mantenham o “rigor teológico nas reflexoes” e “adequem as meditações à realidade quotidiana”.

Na reunião que decorreu esta terça feira ao fim da manhã, na Casa de Retiros de Nossa Senhora do Carmo, em Fátima, e na qual participaram cerca de duas dezenas de sacerdotes que presidem ao Rosário na Capelinha das Aparições, diariamente, bem como responsáveis dos orgãos de comunicação social, o Pe Carlos Cabecinhas sublinhou a “importância e a abrangência” deste momento na transmissão da fé.

“É um momento de oração seguido por muito gente- através das antenas da Rádio Renascença e Canção Nova- e, por isso, constitui um desafio para redobrarmos os cuidados de linguagem e de rigor teológico” disse o Pe Carlos Cabecinhas precisando que “os conteúdos das reflexões devem ser apelativos e transmitirem a verdade da fé adequadamente”, evitando sempre que possivel “o automatismo”.

Esta reunião, que se realiza pela quarta vez- a primeira foi em 2004 e só começou a ganhar periodicidade a partir de 2013- visa acertar aspetos que melhorem a transmissão radiofónica do Rosário, a partir da Capelinha das Aparições.

“Todos temos consciência de que este momento tem um impacto enorme porque são várias as pessoas, em todo o mundo, que seguem o Terço apartir daqui e que aprendem a rezar assim”, disse ainda.

O Reitor do santuário apelou, também, aos sacerdotes que tenham presente o tema do ano pastoral de 2015-2016, “Eu vim para que tenham Vida”, no Santuário de Fátima, o 6º do septenário de preparação e celebração do Centenário das Aparições,  partindo da aparição de Nossa Senhora no mês de Setembro.

Lembrou que este ano pastoral coincidirá com o Jubileu Extraordinário da Misericórdia, promulgado pelo papa Francisco e que é, ainda, o ano em que se assinala o centenário das aparições do Anjo aos três videntes de Fátima. 

Todos estes aspetos marcam necessariamente o ano pastoral que agora se inicia” e por isso, “também devem ser tidos em conta nas nossas reflexões e meditações”. 

“Neste Ano da Misericórdia, encontramos em Maria o modelo e a intercessora. Ela é a `Mãe de Misericórdia´, a quem o Papa Francisco pede que `a doçura do seu olhar nos acompanhe neste Ano Santo para podermos todos nós redescobrir a alegria da ternura de Deus. Ninguém como Maria conheceu a profundidade do mistério de Deus feito homem”, frisou ainda o sacerdote.

“É na misericórdia de Deus que encontramos a palavra-chave para interpretarmos a mensagem de Fátima” disse o Pe Carlos Cabecinhas, recordando que a mensagem de Fátima “não nos desvia para o periférico e secundário”, mas “leva-nos ao essencial da fé cristã: a revelação do amor de Deus, Santíssima Trindade, que se manifesta como misericórdia para salvar, para dar de novo esperança aos que sofrem, para revelar o rosto de Deus atento às nossas súplicas. Nossa Senhora, a Mãe de Misericórdia, apresentou-se em Fátima como transparência da misericórdia de Deus.”

“O Ano da Misericórdia é, assim, um desafio a interpretarmos a mensagem de Fátima à luz da misericórdia de Deus; mas, por outro lado, a mensagem de Fátima é convite a experimentarmos e testemunharmos a misericórdia de modo renovado”, destacou.

É esta a formulação do tema, que guiará a vida do Santuário ao longo deste ano e o Reitor do Santuário aproveitou esta reunião para lembrar algumas das orientações para o ano pastoral, fortemente inspirado na aparição de Setembro, na qual Nossa Senhora diz aos Pastorinhos que Deus está contente com os seus sacrifícios.

“Como os Pastorinhos, somos desafiados a descobrir a plenitude da vida que Deus nos oferece através da oferta de nós mesmos. Esse é igualmente o caminho da experiência da verdadeira alegria cristã”, diz

Por outro lado, a “atitude crente que se pretende motivar, neste ano pastoral, é a celebração, como dimensão constitutiva da experiência crente. A celebração da fé, sobretudo na Liturgia, é a forma por excelência de participação, desde já, na plenitude da vida que Deus nos oferece em Jesus Cristo”, frisou ainda terminando com uma referência ao Itinerário temático deste ano assente no centenário das Aparições do Anjo.

CR



publicado por Carlos Gomes às 13:29
link do post | favorito
|

Domingo, 3 de Janeiro de 2016
GONDEMARIA DISTRIBUI JORNAL "A VOZ DA ALDEIA"



publicado por Carlos Gomes às 21:26
link do post | favorito
|

Sábado, 31 de Outubro de 2015
GONDEMARIA JÁ DISTRIBUI "A VOZ DA ALDEIA"



publicado por Carlos Gomes às 09:45
link do post | favorito
|

Quarta-feira, 2 de Setembro de 2015
GONDEMARIA DISTRIBUI JORNAL “A VOZ DA ALDEIA”



publicado por Carlos Gomes às 21:04
link do post | favorito
|

Quarta-feira, 26 de Agosto de 2015
GASTRONOMIA É A NONA ARTE

O sonho sempre comanda a vida, dando-nos as coordenadas para a execução. É o mote, a lembrança para os dias difíceis, o estímulo perante as contrariedades, a convicção perante a incerteza.Sempre foi assim e sempre será. Também connosco foi assim, toda a equipe dos Órgãos Sociais da FPCG acreditou que seria possível fazer mais e melhor, acreditou no sonho. 

E, porque acreditámos, o Dia Nacional da Gastronomia está instituído. Graças à persistência da FPCG foi aprovado, por unanimidade, na Assembleia da República o Diploma 1453 sendo que este, na essência das palavras e do espírito do texto, é também o resultado do contributo positivo da nossa instituição. Podemos, por isso, afirmar que está concretizado o nosso objectivo demonstrando, por um lado, a força das confrarias e, por outro lado, a convicção da relevância económica e cultural da gastronomia. 

Ao longo deste processo que se iniciou há cerca de um ano aquando de uma visita ao Senhor Ministro Adjunto, Dr Poiares Maduro, tivemos sempre presente a convicção da grande validade da nossa proposta e de como a FPCG poderia também marcar Portugal. A verdade é que, cada vez mais, a sociedade e as instituições públicas contam com o associativismo que marca o movimento das confrarias para o desenvolvimento dos territórios. E as confrarias têm sabido dar uma resposta muito coerente aos desafios que lhe são lançados. Não se trata apenas de divulgar os produtos e as localidades, trata-se de dinamizar a economia local fomentado a produção tradicional, qualificando os produtos, inventariando e caracterizando o que de melhor se faz pelas suas terras. Não é apenas dizer que o produto existe, é dizer como nasceu, onde nasceu, como evoluiu e como marcou a cultura e a identidade do povo. Não é referir somente que é bom, é mostrar que é bom e porque é que bom através de certames onde a qualidade é exibida como selo de garantia. 

O Prémio "Boas Práticas para a Valorização da Gastronomia" mostrou toda a pujança do trabalho das confrarias. Atribuído à Confraria do Cabrito e da Serra do Caramulo como o coroar de um bom trabalho efectuado em prol da comunidade, este prémio permitiu tomar consciência do grande esforço que é desenvolvido pelas confrarias. As candidaturas apresentadas mostraram isso mesmo, sendo que o júri demonstrou-se impressionado pelo trabalho "silencioso" mas muito profícuo. 

Apesar de concretizado o estabelecido em plano de actividades apresentado em Assembleia Geral, poderemos dizer que os desafios começam agora. Sabemos que, neste momento, a Assembleia da República, as instituições públicas e privadas e a sociedade em geral espera ainda mais da FPCG e das confrarias. É preciso cumprir o Dia Nacional da Gastronomia Portuguesa no espírito que foi proposto pela FPCG, como um dia de mobilização e integração de toda a sociedade na celebração da gastronomia. Na economia, na educação, na cultura, na história, na saúde, no turismo, na restauração, enfim, na sociedade, é preciso lembrar a importância da gastronomia.

Por isso, regressamos ao sonho entendido como a linha do horizonte que conduz a nossa acção. Por isso, pedimos a vossa acção e participação. 

No entanto, por ora, é tempo de férias, é tempo de usufruir das conquistas conseguidas, é tempo de olhar para trás e pensar nos amigos que conquistámos e nos vínculos que criamos pois que confrarias são, antes de mais, fraternidade e espaço de amizade. Estou certa que é essa, verdadeiramente, a nossa força. 

Assim e porque o tempo de férias e de maior disponibilidade para leituras, apresentamos a "NONA ARTE", nesta edição comemoramos a aprovação do Dia Nacional da Gastronomia Portuguesa com um caderno especial sobre o tema.
Para leitura on-line aceder ao link:

http://issuu.com/fpcg/docs/nonaarte_jun2015



publicado por Carlos Gomes às 15:03
link do post | favorito
|

Sexta-feira, 31 de Julho de 2015
GONDEMARIA PUBLICA “A VOZ DA ALDEIA”



publicado por Carlos Gomes às 18:25
link do post | favorito
|

Segunda-feira, 29 de Junho de 2015
GONDEMARIA DISTRIBUI "A VOZ DA ALDEIA"



publicado por Carlos Gomes às 22:54
link do post | favorito
|

Segunda-feira, 11 de Maio de 2015
FÁTIMA DÁ ALENTO AO POVO PORTUGUÊS

O semanário “O Diabo” dedica na sua edição de amanhã um trabalho de duas páginas ao livro “Nossa Senhora de Fátima – História das Aparições”, da autoria do historiador José Carvalho.

Na entrevista, o autor do livro considera que “uma bênção especial caiu sobre a terra portuguesa”.

11181806_978411718850217_8746623446830187378_n-2



publicado por Carlos Gomes às 19:45
link do post | favorito
|

Sexta-feira, 8 de Maio de 2015
PROJETO DE LEI AMEAÇA LIBERDADE DE INFORMAÇÃO

Diretores de jornais, rádios e televisões estão unidos contra novo projeto de lei (do PSD e do CDS-PP) que regula atividade dos jornalistas em tempo de campanha eleitoral. Os responsáveis editoriais dos principais meios de comunicação social do país afirmam que liberdade de informação “está ameaçada” e fazem, agora, um comunicado conjunto que apresentamos, na íntegra, aqui em baixo.

  1. O PSD e o CDS acabam de anunciar terem concluído um novo projeto de diploma para regular a atividade dos jornalistas e dos órgãos de comunicação social durante o período eleitoral.

Uma leitura do documento permite concluir que a liberdade de informação em Portugal está mais uma vez ameaçada.

  1. Quarenta anos volvidos sobre a lei anacrónica em vigor, o novo projeto volta a impedir e a condicionar a liberdade editorial invocando princípios de igualdade que remetem para lógicas de «régua e esquadro», como se de tempo de antena partidário se tratasse.
  2. Mesmo quando o legislador concede que os órgãos de comunicação social têm liberdade editorial, direito inscrito na Constituição da República Portuguesa, acaba por sacrificá-la repetidamente.
  3. Os diretores de informação subscritores registam e saúdam a eliminação de alguns pontos absurdos do anterior projeto de lei, como a apresentação, para controlo prévio, dos planos de trabalho dos jornalistas.
  4. Consideram, contudo, que esta nova proposta está ainda longe de garantir aos cidadãos a existência de um jornalismo livre e independente de restrições políticas e administrativas inadmissíveis em democracia. Constatam que se mantém um receio injustificado do poder político quanto ao exercício livre da atividade jornalística, próprio de outros tempos.
  5. Este novo projeto mantém a tentação de impor um freio às redações.
  6. Continua a confundir  jornalismo e tempo de antena, entre jornalismo e propaganda política, tentando subordinar o primeiro à segunda.
  7. Em termos concretos, este projeto representa mesmo um retrocesso em relação à atual lei, de 1975, anterior à Constituição:

8.1. Aparenta defender a liberdade editorial nos seus primeiros artigos, ao evocá-la como princípio orientador, mas nega-a sistematicamente ao impor comportamentos específicos aos jornalistas.

8.2. Determina limitações à liberdade editorial logo no período de pré-campanha, imposição sem precedentes em sede legislativa.

8.2.1. Obriga os meios que fizerem debates, seja na televisão ou na internet, na rádio ou na imprensa, a incluir todas as forças com representação parlamentar. Esta obrigatoriedade constitui uma interferência abusiva do poder político nos critérios editoriais e condiciona gravemente a liberdade de informação.

8.3. Se a lei em vigor causa confusão na sua interpretação, mesmo dentro da própria Comissão Nacional de Eleições (CNE) e entre tribunais, o atual projeto agrava esse risco de incerteza. Estando matéria jornalística em causa, é o que acontece quando o projeto recorre a expressões como “diversos fatores que para o efeito têm de se considerar” para dar conteúdo a termos que são já de si indeterminados, como “igualdade de oportunidades” e “tratamento não discriminatório”.

8.4. Esta iniciativa legislativa atribui à CNE um amplo poder de interpretação e de tutela do trabalho jornalístico, sem que existam regras claras para todos. Recorrendo ao histórico das decisões da CNE, é fácil concluir que continuará a vigorar a interpretação de que, no final do processo, deve existir igualdade formal absoluta na cobertura jornalística de todas as candidaturas. E que a incerteza nas redações se irá manter, uma vez que aquele objetivo é, de facto, impossível de cumprir.

8.5. O atual projeto não resolve o problema da dupla fiscalização, simultânea e paralela, da atividade dos órgãos de comunicação social: a da CNE e a da ERC. Esta situação levará à repetição de decisões contraditórias como já se verificou no passado. Em 2011, por exemplo, as televisões acordaram um modelo de debates que não mereceu oposição da ERC, mas que foi sancionado, com aplicação de coimas, pela CNE e em sede judicial.

8.6. Mesmo no que se refere à utilização da internet, o projeto faz questão de reconhecer «plena liberdade» a cidadãos, candidatos, candidaturas, mandatários, partidos políticos, coligações e grupos de cidadãos, todos menos os órgãos de comunicação social, submetidos a regras estritas.

8.7. O projeto aumenta o valor das coimas para níveis incomportáveis para a maioria dos órgãos de comunicação social, com a agravante desse incumprimento resultar da alegada inobservância de regras confusas e indeterminadas, resultantes da interpretação subjetiva de uma entidade com um poder discricionário de amplitude inaceitável.

  1. O legislador não se deve atribuir o direito, a si próprio e em causa própria, de se substituir aos jornalistas na decisão do que é publicado ou difundido.
  2. A atividade jornalística obedece a princípios éticos e deontológicos rigorosos, às leis de Impresa, Rádio e Televisão, Estatuto do Jornalista, além de legislação internacional e demais legislação aplicáveis. Nova produção legislativa não deve ignorar o amplo escrutínio a que o jornalismo é já submetido, sem esquecer o exercido pelos próprios cidadãos.
  3. Por tudo isto, os diretores editoriais dos órgãos de comunicação social nacionais reafirmam a sua disponibilidade para contribuir para um quadro legal equilibrado, democrático e plural, onde o princípio basilar da liberdade de Imprensa seja efetivamente salvaguardado.
  4. Os diretores editoriais esperam que o legislador crie as condições necessárias a uma cobertura jornalística condicionada apenas, e exclusivamente, pela liberdade de Informação. De outro modo, quaisquer condicionamentos apenas prejudicarão o direito dos cidadãos a serem informados em liberdade.

Afonso Camões, Diretor do Jornal de Notícias

Alcides Vieira, Diretor de Informação da SIC

André Macedo, Diretor do Diário de Notícias

António José Teixeira, Diretor da SIC Notícias

Bárbara Reis, Diretora do Público

David Dinis, Diretor do Observador

Fernando Paula Brito, Diretor de Informação da Lusa

Graça Franco, Diretora de Informação da Rádio Renascença

Helena Garrido, Diretora do Jornal de Negócios

João Paulo Baltazar, Diretor de Informação da Antena 1

José Alberto Carvalho, Presidente do Comité Editorial da TVI

José António Lima, Diretor-adjunto do Sol

Luis Rosa, Diretor do I

Octávio Ribeiro, Diretor do Correio da Manhã

Paulo Baldaia, Diretor da TSF

Paulo Dentinho, Diretor de Informação da RTP

Pedro Camacho, Diretor da Visão

Raúl Vaz, Diretor do Diário Económico

Ricardo Costa, Diretor do Expresso

Rui Hortelão, Diretor da Sábado

Fonte: http://sicnoticias.sapo.pt/



publicado por Carlos Gomes às 23:36
link do post | favorito
|

Quarta-feira, 29 de Abril de 2015
“A VOZ DA ALDEIA” DIVULGA AS ATIVIDADES DA UNIÃO DESPORTIVA DE GONDEMARIA



publicado por Carlos Gomes às 20:47
link do post | favorito
|

Sexta-feira, 27 de Março de 2015
EDIÇÃO DA PÁSCOA DO JORNAL “A VOZ DA ALDEIA” DA UNIÃO DESPORTIVA DA GONDEMARIA JÁ ESTÁ EM CIRCULAÇÃO



publicado por Carlos Gomes às 16:30
link do post | favorito
|

Terça-feira, 3 de Março de 2015
JORNAL “A VOZ DA ALDEIA” DE GONDEMARIA DESTACA PROVA TT DOS CHÍCHAROS



publicado por Carlos Gomes às 19:36
link do post | favorito
|

Quinta-feira, 5 de Fevereiro de 2015
GONDEMARIA PUBLICA "A VOZ DA ALDEIA"



publicado por Carlos Gomes às 08:51
link do post | favorito
|

Segunda-feira, 2 de Fevereiro de 2015
VEREADORES DA COLIGAÇÃO OURÉM SEMPRE CONTESTAM DIVULGAÇÃO À IMPRENSA DE PROJETOS QUE NÃO SÃO DEBATIDOS EM REUNIÃO DO EXECUTIVO

Os vereadores da Coligação Ourém Sempre apresentaram na reunião do executivo municipal uma “declaração política” através da qual manifestam o seu desagrado pela divulgação à imprensa por parte do presidente da edilidade de projetos camarários que não são antes debatidos em reunião do executivo.

988297_722806031066063_13050937_n

DECLARAÇÃO POLITICA

Na edição do Notícias de Ourém de 23 de Janeiro de 2015, a páginas 3 o Sr. Presidente da Câmara afirma que “ mandei fazer um projeto (…) está concluído” e que o mesmo “é do conhecimento das associações defensoras dos direitos dos animais do concelho”.

Este projeto será para ser rapidamente concretizado, daqui a “ 3, 4 meses, a obra arranca”.

Também anunciou que “ a Câmara fará um protocolo com associações” e será realizado um espetáculo no Cine-teatro no final do 1º Trimestre.

Não estando em causa o investimento anunciado, entendemos que o mesmo deveria ser discutido e analisado em sede de reunião de Câmara, antes de ser apresentado à imprensa.

Ainda segundo a notícia do jornal, o estudo prévio do projeto de arquitetura do Canil e Gatil municipal é de Outubro de 2014, não se entende como o mesmo apenas foi contemplado no orçamento e documentos previsionais com a verba de 5 Mil Euros para o ano de 2015, verba manifestamente insuficiente para um investimento desta envergadura e que de acordo com a mesma fonte será iniciada no 2º Trimestre de 2015.

Para quem apregoa a colaboração e boa-fé nas decisões, mais uma vez a prática desmente a teoria.

Ourém, 30 de Janeiro de 2015

Os Vereadores da Coligação



publicado por Carlos Gomes às 20:39
link do post | favorito
|

Terça-feira, 23 de Dezembro de 2014
GONDEMARIA RECEBE JORNAL “A VOZ DA ALDEIA” EM VÉSPERA DE NATAL



publicado por Carlos Gomes às 15:26
link do post | favorito
|

Quinta-feira, 27 de Novembro de 2014
GONDEMARIA JÁ DISTRIBUI JORNAL "A VOZ DA ALDEIA"



publicado por Carlos Gomes às 18:37
link do post | favorito
|

Quinta-feira, 30 de Outubro de 2014
GONDEMARIA DISTRIBUI "A VOZ DA ALDEIA"



publicado por Carlos Gomes às 16:00
link do post | favorito
|

Sexta-feira, 3 de Outubro de 2014
GONDEMARIA: JORNAL VOZ DA ALDEIA JÁ CIRCULA



publicado por Carlos Gomes às 18:16
link do post | favorito
|

Sexta-feira, 5 de Setembro de 2014
GONDEMARIA DISTRIBUI JORNAL "A VOZ DA ALDEIA"



publicado por Carlos Gomes às 22:09
link do post | favorito
|

Terça-feira, 5 de Agosto de 2014
GONDEMARIA DISTRIBUI "A VOZ DA ALDEIA"



publicado por Carlos Gomes às 22:00
link do post | favorito
|

Terça-feira, 1 de Julho de 2014
GONDEMARIA DISTRIBUI "A VOZ DA ALDEIA"



publicado por Carlos Gomes às 22:51
link do post | favorito
|

Sexta-feira, 30 de Maio de 2014
SANTUÁRIO DE FÁTIMA EDITA REVISTA CULTURAL

Fátima XXI Revista Cultural do Santuário de Fátima já disponível para venda

Esta manhã, na sessão de abertura do simpósio teológico-pastoral que decorre até ao próximo domingo no Santuário de Fátima, no qual participam 330 pessoas, foi apresentado o mais recente projeto cultural da instituição: a revista “Fátima XXI Revista Cultural do Santuário de Fátima”, já dada a conhecer aos jornalistas na conferência de imprensa realizada a 12 de maio. 

O número 1, com 145 páginas, foi agora publicado e já está disponível para venda na Livraria do Santuário de Fátima, por 9 euros por exemplar (livraria@fatima.pt). 

Pensada no contexto da celebração dos 100 anos das aparições de Fátima, a revista, em português, terá caráter semestral, estará disponível em maio e em outubro, e pretende ser, nas palavras do padre Carlos Cabecinhas, reitor do Santuário de Fátima, “uma revista de índole cultural, que procura, precisamente, fazer-se eco desta dimensão cultural de Fátima”, juntando-se assim aos projetos informativos periódicos da instituição: o jornal mensal, em português, “Voz da Fátima”, e o boletim trimestral internacional “Fátima Luz e Paz”, em sete idiomas.

Este projeto deseja também “ser espaço de reflexão, abordando temas relacionados com a história, a mensagem e a cultura de Fátima, através de leituras que se pretendem pluridisciplinares, envolvendo perspetivas diferentes mas complementares”.

“O Centenário dá-nos a oportunidade de experimentar caminhos novos, que enriquecem a reflexão sobre Fátima e a propõem numa linguagem renovada, quer na forma de fazer as leituras quer na forma de as expor, como acontece na presente publicação”, explica o reitor, diretor da publicação. 

No momento de apresentação, Marco Daniel Duarte, diretor-adjunto da publicação, deu a conhecer as principais rúbricas da publicação e alguns dos temas do número 1.

“Este número inaugural colhe importantes testemunhos de figuras conhecidas do panorama cultural nacional e eclesial; e assim podemos ouvir Gianfranco Ravasi dizer que «Fátima é um lugar materno da

civilização europeia»; e assim podemos ouvir o cardeal Tarcisio Bertone dizer que Fátima é «apelo à comunidade e à humanidade»; e assim ouvimos Adriano Moreira dizer que Fátima é «um dos lugares do

mundo de mais forte inspiração»”, referiu.

Para este responsável, as páginas de Fátima XXI “entrecruzam olhares e saberes, colhendo marcantes ideias dos protagonistas de Fátima, mas, sobretudo, fomentando renovadas aproximações a este tema inesgotável, lido de forma poliédrica”.

“A primeira edição de Fátima XXI teria de escolher como tema do seu Caderno Temático um dos assuntos maiores deste lugar e por isso dedica o seu primeiro caderno temático ao Segredo de Fátima”, referiu Marco Daniel Duarte, sublinhando que neste tópico “diferentes investigadores produziram olhares diversos que se foram buscar à História, à Teologia, à Literatura, à Linguística, à Diplomática, às Artes plásticas... Quis-se uma abordagem rigorosa, não tanto académica, mas sobretudo cultural”.

Nas páginas do número 1, entram ainda vários ‘flahes’ do Centenário das Aparições e recorda-se através da fotografia e do texto o acontecimento mais especial do último ano: a visita da Imagem da Capelinha a Roma. Todos os números terão uma rubrica intitulada “Fragmentos de História”, que no número 1 mostra um documento muito especial: o manuscrito do celebrado “Ave de Fátima”, escrito em 1929 por Afonso Lopes Vieira.



publicado por Carlos Gomes às 21:46
link do post | favorito
|

Quinta-feira, 29 de Maio de 2014
GONDEMARIA DISTRIBUI JORNAL "A VOZ DA ALDEIA"



publicado por Carlos Gomes às 20:53
link do post | favorito
|

Sexta-feira, 2 de Maio de 2014
GONDEMARIA DISTRIBUI EDIÇÃO DE MAIO DO JORNAL “VOZ DA ALDEIA”



publicado por Carlos Gomes às 11:57
link do post | favorito
|

Sexta-feira, 18 de Abril de 2014
SÉRGIO RIBEIRO REGRESSA A CAXIAS

Quatro décadas após a sua prisão, o semanário Expresso convidou o oureense Sérgio Ribeiro a regressar à Cadeia de Caxias numa viagem à memória daqueles dias vividos em vésperas do golpe militar que derrubou o regime do Estado Novo. O trabalho é publicado na última edição daquele jornal.

001

Presos em vésperas de revolução

Fez agora 40 anos. Na madrugada de 18 de abril de 1974, em jeito de antecipação ao 1º de maio, a DGS, a polícia política da ditadura, efetuou cerca de trinta detenções de activistas da oposição, a maior parte pertencente ao sector intelectual do clandestino PCP. O Expresso convidou alguns dos últimos presos políticos do Estado Novo a regressar ao forte de Caxias, 40 anos depois.

SÉRGIO RIBEIRO: FUTURO DEPUTADO EUROPEU

Para Sérgio Ribeiro, o 25 de Abril foi como um "segundo parto". A 18 de Abril, tinha acabado de chegar de Bruxelas para vir passar a páscoa a Portugal com a sua companheira. Foi preso, por acaso, quando se dirigiu ao "Notícias da Amadora" para entregar um artigo. Foi a sua colaboração num programa da televisão belga sobre Portugal que não agradou à DGS.



publicado por Carlos Gomes às 10:20
link do post | favorito
|

Segunda-feira, 31 de Março de 2014
JORNAL "A VOZ DE GONDEMARIA" JÁ CIRCULA EM OURÉM



publicado por Carlos Gomes às 17:20
link do post | favorito
|

Quarta-feira, 26 de Fevereiro de 2014
GONDEMARIA DISTRIBUI JORNAL "A VOZ DA ALDEIA"



publicado por Carlos Gomes às 22:34
link do post | favorito
|

Terça-feira, 25 de Fevereiro de 2014
REVISTA ESPECIALIZADA NA ÁREA DO TURISMO NOMEIA OURÉM “MELHOR AUTARQUIA”

A Câmara de Ourém está nomeada na categoria de “melhor autarquia” nos Publituris Portugal Trade Awards, distinções que a revista Publituris (revista especializada da área do Turismo Português) vai entregar, no próximo dia 12 de março, à margem da Bolsa de Turismo de Lisboa.

publituris-01

“Município que acolhe Fátima, local que atrai 4 milhões de turistas por ano, tem dado o seu contributo para o desenvolvimento do Turismo Religioso, de que é exemplo a assinatura de um acordo de geminação com a cidade de Lourdes. A cooperação poderá beneficiar de apoios financeiros da União Europeia que permitam criar uma plataforma comum de promoção internacional em mercados estratégicos”, pode ler-se na publicação online.

Para Paulo Fonseca, presidente do Município de Ourém, este é um “sinal de reconhecimento, prestígio e valorização de Ourém e a prova de que o trabalho realizado na promoção do turismo religioso tem dado valiosos frutos”.

Nas 13 categorias a concurso, o Município de Ourém aparece a disputar a categoria de «Melhor autarquia» ao lado de Braga, Grândola, Lisboa, Loulé, Porto e Vila Real de Santo António.

As categorias a concurso são: Melhor Empresa de Cruzeiros, Melhor GSA Aviação, Melhor PCO – Professional Organizer Congress, Melhor Espaço para Eventos, Melhor Espaço para Congressos, Melhor Empresa de Animação Turística, Melhor Agência Corporate, Melhor Site Operador, Melhor Porto Recreio/Marina, Melhor Hotel Independente, Melhor Site de Cadeia Hoteleira, Melhor Turismo em Espaço Rural, Melhor Autarquia e Personalidade do Ano (atribuído pela equipa Publituris).

Vote em Ourém

Os nomeados para as 13 categorias a concurso foram escolhidos pela redação da revista, mas os vencedores resultam de uma média ponderada entre os votos dos assinantes da newsletter do Publituris (40%) e dos votos do Júri (60%). A votação irá decorrer entre 28 de fevereiro e 7 de março.

Para votar deverá aceder ao site da publicação: www.publituris.pt a partir do dia 28 de fevereiro, clicar na notícia sobre os prémios e será reencaminhado para o site da votação. Depois basta inserir o email no qual recebe a newsletter da Publituris.



publicado por Carlos Gomes às 20:01
link do post | favorito
|

Segunda-feira, 17 de Fevereiro de 2014
ETIQUETA DISCOGRÁFICA FRANCESA “PRESIDENT" DESTACA FOLCLORE PORTUGUÊS

A etiqueta discográfica francesa "President", em edição cuja data não conseguimos apurar, dedicou cm o título “Quoi de neuf?” um “Special Folcklore Portugais”, reproduzindo capas de edições discográficas de diversos artistas e grupos folclóricos, muitos deles da nossa região e alguns já desaparecidos.

Fonte: Fundação Mário Soares



publicado por Carlos Gomes às 00:01
link do post | favorito
|

Sexta-feira, 7 de Fevereiro de 2014
MARCO RAMOS TREINA OURIENSE

ouriense1o

Marco Ramos é o novo treinador da equipa feminina do Ouriense. Está assim encontrado o sucessor do técnico Mauro Moderno, que deixou a equipa após a pesada derrota com o Futebol Benfica (0-5). Depois de orientar os juvenis do clube de Ourém, em masculinos, Marco cumpre nova experiência na carreira.

«São contextos diferentes, é certo, mas a ambição de vencer continua. O título? Ainda é possível. As equipas que forem apuradas para a fase final podem sonhar com tudo», desejou o treinador, que irá estrear-se no sábado, com o Boavista, em jogo em atraso a contar para a 10.ª jornada do campeonato feminino.

Miguel Mendes / http://www.abola.pt/



publicado por Carlos Gomes às 11:10
link do post | favorito
|

Quarta-feira, 29 de Janeiro de 2014
“A VOZ DA ALDEIA” É O JORNAL DE GONDEMARIA



publicado por Carlos Gomes às 22:56
link do post | favorito
|

Terça-feira, 14 de Janeiro de 2014
NAS TRINCHEIRAS DA FLANDRES, A GUERRA NÃO ROUBA AOS OUREENSES A VONTADE DE VIVER!

 

A revista “Ilustração Portugueza”, na sua edição de 27 de Agosto de 1917, publicou uma página com fotos de vários soldados portugueses que então se encontravam mobilizados na Flandres, integrados no Corpo Expedicionário Português, aparecendo em destaque uma curiosa fotografia de um “casal” de soldados com a seguinte legenda:

“Soldado de infantaria, José Batista, natural de Vila Nova de Ourem. Que é rapaz folgazão, o prova esta fotografia tirada juntamente com o seu camarada Lopes, vestindo este um fato de mulher. O Lopes é também do concelho de Vila Nova d'Ourem.”.

- Mesmo nos momentos mais adversos, os oureenses não perdem a sua alegria e sentido de humor!



publicado por Carlos Gomes às 00:05
link do post | favorito
|

Sábado, 4 de Janeiro de 2014
GONDEMARIA DISTRIBUI JORNAL "A VOZ DA ALDEIA"



publicado por Carlos Gomes às 20:25
link do post | favorito
|

Quarta-feira, 18 de Dezembro de 2013
O MILAGRE DE FÁTIMA NA IMPRENSA EM 1917

“Despovoaram-se os lugares, as aldeias, as cidades próximas (…). Pelas estradas, já nas vésperas, seguiam grupos de romeiros a caminho de Fátima. Pescadores da Vieira deixaram as suas casas de madeira negra assentes sobre o mar, as lides da arrumação da pescaria.

Operários da Marinha, lavradores de Monte Real, das Cortes, dos Marrazes, serranas de longe – das serras do Soubio, de Minde, de Louriçal, gente de toda a parte onde chegasse a voz do Milagre, deixavam as casas e os campos e vinham por ali fora cavalo, de carro ou a pé cruzando as estradas, atravessando montes e pinhais, de longada pelos caminhos que durante dois dias se animaram do rodar dos carros, do chouto dos jumentos, do vozear dos grupos dos romeiros.

Caminhavam sempre subindo a serra iluminados pela fé, na ânsia do milagre que Nossa senhora prometera, no dia 13, pela uma hora, hora do sol, às almas simples e puras de três crianças que apascentavam gados!(...).

Eram cânticos que se definiam, entoados por milhares de bocas. No planalto da serra, cobrindo o monte, enchendo um vale, via-se uma e milhares de almas em prece!

Mãos erguidas, olhos em êxtase, vinham na fé ardente da crença. Vinham pedir o milagre a Nosso Senhor, pedir a redenção dos pecados, pedir a bênção para as amarguras da vida!”

– Jornal «O Dia», de 19 de Outubro de 1917. In “Era uma senhora mais brilhante que o sol” – Padre João de Marchi



publicado por Carlos Gomes às 00:01
link do post | favorito
|

Sexta-feira, 29 de Novembro de 2013
JORNAL "A VOZ DA ALDEIA" TEM A FORÇA DA GONDEMARIA!



publicado por Carlos Gomes às 12:07
link do post | favorito
|

Sexta-feira, 1 de Novembro de 2013
GONDEMARIA: JONAL "A VOZ DA ALDEIA" JÁ VAI NA CENTÉSIMA EDIÇÃO!



publicado por Carlos Gomes às 17:09
link do post | favorito
|

Sexta-feira, 18 de Outubro de 2013
JORNAL "A VOZ DA ALDEIA" DE GONDEMARIA JÁ VAI NA 100ª EDIÇÃO!

Íman Jornal - 09.10.2013



publicado por Carlos Gomes às 18:31
link do post | favorito
|

Sexta-feira, 11 de Outubro de 2013
GONDEMARIA: JORNAL "A VOZ DA ALDEIA" JÁ ESTÁ EM CIRCULAÇÃO!



publicado por Carlos Gomes às 08:55
link do post | favorito
|

Terça-feira, 8 de Outubro de 2013
EM 1997, JORNAL “CORREIO DA MANHÔ REGISTOU A PARTICIPAÇÃO DO RANCHO FOLCLÓRICO DA CASA DO POVO DE FÁTIMA NA “FESTA DE PORTUGAL”

O jornal “Correio da Manhã” na sua edição de 24 de março de 1997 registou a participação do Rancho Folclórico da Casa do Povo de Fátima na Festa de Portugal, evento que foi organizado pela Casa do Concelho de Ponte de Lima, em Lisboa.

img422-2

A iniciativa decorreu no Pavilhão Carlos Lopes e no parque Eduardo VII, tendo contado com a participação de perto de duas dezenas de representações folclóricas e etnográficas de todo o país.

A foto que realça a reportagem possui a seguinte legenda: “Um momento de pausa para os três pastorinhos no desfile etnográfico”.



publicado por Carlos Gomes às 00:01
link do post | favorito
|

Domingo, 15 de Setembro de 2013
EM 1956, JORNAL "DIÁRIO POPULAR" NOTICIOU O FUNERAL DA MÃE DOS VIDENTES JACINTA E FRANCISCO MARTO

O jornal “Diário Popular”, na sua edição de 5 de abril de 1956, noticiou o funeral naquele mesmo dia, em Fátima, de Olímpia Marto, mãe dos videntes Jacinta e Francisco Marto.



publicado por Carlos Gomes às 00:01
link do post | favorito
|

Sexta-feira, 13 de Setembro de 2013
JORNAL "I" AFIRMA QUE OURÉM GASTOU 40 MIL EUROS NUM FESTIVAL DE CINEMA QUE NUNCA SE REALIZOU



publicado por Carlos Gomes às 00:18
link do post | favorito
|

Segunda-feira, 5 de Agosto de 2013
GONDEMARIA" JORNAL "A VOZ DA ALDEIA" JÁ CIRCULA EM OURÉM!



publicado por Carlos Gomes às 23:30
link do post | favorito
|

Quinta-feira, 1 de Agosto de 2013
“JORNAL SÉNIOR” DIVULGA PORTUGAL EM FESTA

Já se encontra nas bancas mais uma edição do “Jornal Sénior” com destaque para as festas e romarias, procissões e festivais que animam de norte a sul o país durante o mês de agosto.

998044_685225911493654_818905106_n-2

Na primeira página, em rodapé, os trajes garridos das lavradeiras minhotas conferem um especial colorido e vivacidade a um jornal que conquista a cada dia maior aceitação entre as mais variadas faixas etárias da sociedade apesar de alegadamente ser dirigida a um público sénior. Afinal de contas, os jovens de hoje serão os séniores de amanhã!



publicado por Carlos Gomes às 14:36
link do post | favorito
|

Quarta-feira, 31 de Julho de 2013
RÁDIO DO FOLCLORE PORTUGUÊS: A VOZ DA CULTURA E DAS TRADIÇÕES POPULARES ATRAVÉS DA INTERNET

A emitir há 8 anos através da Internet no endereço http://www.rfp-folclore.com/, a Rádio do Folclore Português tem sido a voz da cultura e das tradições portuguesas a transmitir via Internet para todo o mundo. Esta estação radiofónica entra-se licenciada pela Sociedade Portuguesa de Autores e mantém padrões de qualidade invulgares sobretudo quando comparadas com outras iniciativas do género no Internet e até nas ondas hertzianas no panorama das rádios locais.

554359_383265078376921_1372495359_n

A Rádio do Folclore Português, surgiu em Abril de 2005, para combater uma lacuna na radiodifusão da música folclórica e da etnografia em geral

Assim, difunde e divulga a música tradicional portuguesa e música folclórica. A etnografia e folclore são temas de aprofundamento.

A RFP é uma estação radiofónica temática na internet sedeada em Coimbra, agora com estúdios também em Vila Nova de Gaia e tem por base emissões via net. Temos por base a música tradicional e folclórica, a informação sobre esta área temática. A nossa filosofia é que tudo tem o seu tempo, e que no global há tempo para tudo. É isso que pretendemos mostrar ao ouvinte.

z

Animadores/Repórteres

Organigrama

Fundador, diretor e coordenador geral: Sérgio da Fonseca

Núcleo de direção: Sérgio da Fonseca

Animadores e repórteres:

Sérgio da Fonseca - Região Centro

Luís Guerreiro - Região Norte

Bruno Ferreira - Região Centro

Luís Barros - Região Norte

Ricardo Campos - Região Norte

Programação

"Sons do Povo"

Sérgio da Fonseca

Programa automatizado 24 horas 7 dias por semana

Segundas e Terças das 21 às 23 H

Direto "Tertúlias do Sérgio"

Sérgio da Fonseca de Coimbra

Ricardo Campos de Vila Nova de Gaia

Em simultâneo com a Rádio Coração do Alentejo

http://radiocoracaodoalentejo.com

Quartas, Quintas e Sextas

Direto "As Nossas Raízes"

Ricardo Campos

Programa Direto das 21 às 23 horas

Desde Vila Nova de Gaia

Quinta-feira das 23 às 0:00h

Direto Folclore dos Açores

Aristides Silva

A partir de Setembro

Sexta-feira das 23 às 0:00h

Direto Folclore dos Açores

Aristides Silva

A partir de Setembro

Sons do Povo Gravado

Canal 1 – Antenaweb

Sábados

Hora: 17 horas

http://canal1.radioantenaweb.info/inicial.htm

A Partir de 1 de Setembro

Direto Programa "Discos Pedidos" com: Sérgio da Fonseca e Ricardo Campos

Aos Domingos

Hora: 18 às 20 horas

A partir de 1 de Setembro

Direto "O Povo e a Música"

Sérgio da Fonseca: Coimbra

Ricardo Campos: Vila Nova de Gaia

Hora: 21 às 23 horas

As notícias são asseguradas pela coordenação com blocos de notícias com mudança de 4 em 4 dias tendo 7 a 15 repetições em 24 horas de emissão. As notícias são todas relacionadas com a temática.

logo



publicado por Carlos Gomes às 10:03
link do post | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Setembro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


posts recentes

OURÉM: OS MISTÉRIOS DA SI...

TV OUREENSE COMEMORA 2 AN...

REVISTA “FOLKLOURES” DIVU...

JORNAL "CORREIO DA MANHÃ"...

GONDEMARIA DISTRIBUI "A V...

DIA MUNDIAL DA RÁDIO CELE...

REITOR DO SANTUÁRIO DE FÁ...

GONDEMARIA DISTRIBUI JORN...

GONDEMARIA JÁ DISTRIBUI "...

GONDEMARIA DISTRIBUI JORN...

GASTRONOMIA É A NONA ARTE

GONDEMARIA PUBLICA “A VOZ...

GONDEMARIA DISTRIBUI "A V...

FÁTIMA DÁ ALENTO AO POVO ...

PROJETO DE LEI AMEAÇA LIB...

“A VOZ DA ALDEIA” DIVULGA...

EDIÇÃO DA PÁSCOA DO JORNA...

JORNAL “A VOZ DA ALDEIA” ...

GONDEMARIA PUBLICA "A VOZ...

VEREADORES DA COLIGAÇÃO O...

GONDEMARIA RECEBE JORNAL ...

GONDEMARIA JÁ DISTRIBUI J...

GONDEMARIA DISTRIBUI "A V...

GONDEMARIA: JORNAL VOZ DA...

GONDEMARIA DISTRIBUI JORN...

GONDEMARIA DISTRIBUI "A V...

GONDEMARIA DISTRIBUI "A V...

SANTUÁRIO DE FÁTIMA EDITA...

GONDEMARIA DISTRIBUI JORN...

GONDEMARIA DISTRIBUI EDIÇ...

SÉRGIO RIBEIRO REGRESSA A...

JORNAL "A VOZ DE GONDEMAR...

GONDEMARIA DISTRIBUI JORN...

REVISTA ESPECIALIZADA NA ...

ETIQUETA DISCOGRÁFICA FRA...

MARCO RAMOS TREINA OURIEN...

“A VOZ DA ALDEIA” É O JOR...

NAS TRINCHEIRAS DA FLANDR...

GONDEMARIA DISTRIBUI JORN...

O MILAGRE DE FÁTIMA NA IM...

JORNAL "A VOZ DA ALDEIA" ...

GONDEMARIA: JONAL "A VOZ ...

JORNAL "A VOZ DA ALDEIA" ...

GONDEMARIA: JORNAL "A VOZ...

EM 1997, JORNAL “CORREIO ...

EM 1956, JORNAL "DIÁRIO P...

JORNAL "I" AFIRMA QUE OUR...

GONDEMARIA" JORNAL "A VOZ...

“JORNAL SÉNIOR” DIVULGA P...

RÁDIO DO FOLCLORE PORTUGU...

arquivos

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

tags

todas as tags

links
Twitter
blogs SAPO
subscrever feeds