Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes de Ourém.

Domingo, 10 de Janeiro de 2016
MUSEU DE OURÉM APRESENTA O LIVRO "NÓS QUERÍAMOS SER ARTISTAS"

Acontece no Museu… Nós queríamos ser artistas

29 de Janeiro - 21h00

Museu Municipal de Ourém – Casa do Administrador

Apresentação do livro "Nós queríamos ser artistas", da autoria de João Carlos Lopes. "É uma etnografia da música moderna em Torres Novas, centrada em quem a fez e dando visibilidade a fenómenos desapercebidos, que agora temos em mãos. Quando abrimos o livro, soltam-se de lá sonoridades de outros tempos, cantadas pelas mesmas vozes que cantaram aquelas canções, tocadas pelos mesmos músicos que um dia as soltaram no éter. Não por acaso, ainda hoje as ouvimos. E nos arrepiamos e embalamos com elas." Carlos Simões Nuno (prefácio).

Organização: Município de Ourém

Entrada Livre



publicado por Carlos Gomes às 22:39
link do post | favorito
|

Sábado, 27 de Junho de 2015
UTENTES DA SAÚDE DO MÉDIO TEJO FAZEM VIGÍLIA EM TORRES NOVAS E PROTESTAM CONTRA A CRIAÇÃO DO GRUPO HOSPITALAR DO RIBATEJO

Os Utentes da Saúde do Médio Tejo que ontem realizaram uma vigília de protesto em Torres Novas, manifestando-se contra a criação do Grupo Hospitalar do Ribatejo e exigindo a manutenção das valências hospitalares nos hospitais da região – Torres Novas, Tomar e Abrantes – e a melhoria dos serviços nos Centros e Extensões de Saúde, mormente em Ourém, aprovaram a moção que a seguir se transcreve.

00 foto2

MOÇÃO

Considerando que a vida provou que as sucessivas “reorganizações” do Centro Hospitalar do Médio Tejo e do ACES Médio Tejo, nos últimos anos trouxeram mais sofrimento e ansiedade a cada vez mais pessoas na Região.

Considerando que piorou o acesso aos cuidados de saúde, a concentração de serviços não correspondeu a mais qualidade, as distâncias que doentes e familiares têm de percorrer implicam mais sofrimento físico e mais despesas.

Considerando que cada vez há mais utentes sem médico de família (mais 5 500 nos últimos seis meses) e que faltam recursos humanos, equipamentos e outro material nas unidades de saúde.

Considerando que a tentativa de criar um Grupo Hospitalar do Ribatejo (que inclua os 4 hospitais do distrito de Santarém) é um processo com que o Governo, antes das eleições, quer empurrar para os utentes os problemas que criou com as “reorganizações” dos cuidados hospitalares e nos Centros de Saúde.

Os cidadãos do Médio Tejo reunidos na VIGILIA POPULAR, no dia 26 de Junho de 2015, em TORRES NOVAS decidem:

Reafirmar que o Centro Hospitalar do Médio Tejo deve estar ao serviço da população numa lógica de complementaridade e equilíbrio regional, sendo para isso fundamental um programa excepcional de contratação de pessoal e a revisão das condições de financiamento.

Reivindicar nos hospitais de Torres Novas, Tomar e Abrantes: Melhor serviço de urgência! Medicina Interna, Cirurgia e Pediatria! Valorização das valências existentes!

Afirmar a necessidade da melhoria dos serviços nos Centros e Extensões de Saúde, nomeadamente com a contratação de mais profissionais, e a sua articulação com os Cuidados Hospitalares e Cuidados Continuados.

Recusar a criação de um Grupo Hospitalar do Ribatejo que mais não visa que o encerramento de especialidades (p.e. maternidade, ortopedia), resultando daí a dispensa de trabalhadores e cuidados de saúde mais longe, mais caros e com menos qualidade.

Manifestar a sua disponibilidade para, em conjunto com todos os cidadãos e entidades interessadas, continuar a luta por cuidados de saúde de proximidade e qualidade.

00 foto1



publicado por Carlos Gomes às 09:01
link do post | favorito
|

Quinta-feira, 25 de Junho de 2015
UTENTES DA SAÚDE REALIZAM VIGÍLIA EM TORRES NOVAS



publicado por Carlos Gomes às 00:35
link do post | favorito
|

Sábado, 20 de Junho de 2015
UTENTES DA SAÚDE REALIZAM VIGÍLIA DE PROTESTO



publicado por Carlos Gomes às 21:17
link do post | favorito
|

Sábado, 13 de Junho de 2015
UTENTES DA SAÚDE REALIZAM VIGÍLIA DE PROTESTO



publicado por Carlos Gomes às 10:36
link do post | favorito
|

Terça-feira, 9 de Junho de 2015
UTENTES DA SAÚDE REALIZAM VIGÍLIA DE PROTESTO



publicado por Carlos Gomes às 21:58
link do post | favorito
|

Quinta-feira, 4 de Junho de 2015
UTENTES DA SAÚDE REALIZAM VIGÍLIA DE PROTESTO EM TORRES NOVAS



publicado por Carlos Gomes às 22:18
link do post | favorito
|

Terça-feira, 13 de Janeiro de 2015
DELEGAÇÃO DO MUSEU MUNICIPAL DE TORRES NOVAS VISITA OURÉM

O Museu Municipal de Ourém recebeu ontem, dia 12 de janeiro, uma delegação do Museu Municipal Carlos Reis de Torres Novas para uma visita de trabalho, com vista à troca de ideia e partilha de experiências.

P1120020

A vista iniciou-se na Casa do Administrador onde o grupo teve a oportunidade de conhecer os espaços, as exposições permanentes e temporárias e as atividades desenvolvidas.

A esta seguiu-se a visita à Oficina do Património, onde se encontram integrados os serviços técnicos e as reservas visitáveis. Da parte da tarde houve ainda tempo para uma visita guiada à Vila Medieval de Ourém, a qual terminou com um brinde aos frutos desta parceria entre os dois museus com a “nossa” incontornável ginjinha.

P1120024

P1120018

P1120010

P1120003



publicado por Carlos Gomes às 18:53
link do post | favorito
|

Quarta-feira, 24 de Setembro de 2014
OFERTAS DE EMPREGO GIP DE OUREM (23 DE SETEMBRO)

A INSIGNARE tem a funcionar desde maio de 2012, um Gabinete de Inserção Profissional (GIP) cujo objetivo é trazer para mais perto da população algumas das valências do IEFP- Centro de Emprego e Formação Profissional do Médio Tejo Serviço de Emprego de Tomar. Realizamos serviços de apoio a pessoas em situação de desemprego e a empresas através de medidas do IEFP.

z

Cantoneiro de limpeza (M/F) ref. 588471522.IEFP – NSPiedade - Descrição do Perfil: Fazer todas as tarefas inerentes a função no setor de recolha de rsus e limpeza urbana.

Caixa Bancário ou similar (M/F) ref.588471465. IEFP – Fátima- Descrição do Perfil: Esta oferta obriga a que o candidato esteja inscrito como desempregado no Centro de Emprego e se encontre nas situações legalmente previstas na medida estimulo emprego. Pretende-se pessoa dinâmica com espirito de negócio, organizada e interessada.

 Trabalhador de limpeza em escritórios hotéis e outros estabelecimentos (M/F) ref.588471166.IEFP – Fátima -Descrição do Perfil: Executar o trabalho de limpeza e tratamento das louças vidros e outros utensílios de mesa e cozinha e equipamentos usados no serviço de refeições por cuja conservação é responsável, coopera na execução de limpezas e arrumações da seção.

Empregado de mesa (M/F) Ref. 588471144.IEFP - Fátima - Descrição do Perfil: Empregado de restaurante e bar organizar preparar e executar o serviço de restaurante /Bar respeitando as normas de higiene e segurança em estabelecimento de restauração e bebidas integrado em unidade hoteleira, em cooperação com os demais elementos da equipa, com vista a garantir um serviço de qualidade e satisfação do cliente.

Empregado de mesa (M/F) Ref: 588470975.IEFP – Fátima - Descrição do Perfil: Atendimento aos clientes registar e servir os pedidos.

Trabalhador de limpeza em escritórios hotéis e outros estabelecimentos (M/F) ref.588470758.IEFP – Fátima -Descrição do Perfil: Limpeza de quartos e serviço de pequenos-almoços, limpeza e higienização dos quartos, lavagem das áreas inerentes, lavandaria, serviço ao cliente das áreas inerentes, capacidade de gerir toda a cozinha.

Empregado de bar (M/F) Ref: 588470447.IEFP – FÁTIMA - Descrição do Perfil: Esta oferta obriga a que o candidato esteja inscrito como desempregado no Centro de Emprego e se encontre nas situações legalmente previstas na medida estimulo emprego.Profissional para trabalhar num café pastelaria com facilidade de comunicação com os clientes, capacidade de trabalho em equipa mesmo em situação de maior afluência de clientes.

Operador de caixa (M/F) Ref: 588470440.IEFP – FÁTIMA - Descrição do Perfil: Esta oferta obriga a que o candidato esteja inscrito como desempregado no Centro de Emprego e se encontre nas situações legalmente previstas na medida estimulo emprego. Pessoa dinâmica e com vontade de comunicar com os clientes, simpatia e com espírito de equipa.

Lavadeiro e engomador de roupa (M/F) Ref: 588470050 IEFP –UF Matas e Cercal- Descrição do Perfil: Indiferenciado/a para lavandaria industrial e para dobrar roupa.

Serralheiro Civil (M/F) Ref: 588469945.IEFP – Caxarias - Descrição do Perfil: Com experiência mínima de 5 anos.

Soldador (M/F) Ref: 588469942.IEFP – Caxarias- Descrição do Perfil: Com experiência mínima de 5 anos.

Cozinheiro (M/F) Ref: 588469469.IEFP – UF Rio de Couros e Casal dos Bernardos- Descrição do Perfil: Cozinheiro para trabalho a tempo parcial (6h dia).

EP Técnico Superior de Serviço Social, (M/F) Nível 6 - ref EP/SS/23/09 - Olival Entidade procura 2 candidatos (as) para Estágio Emprego. Enviar CV para tempafirmativo@hotmail.com

EP Técnico de Cozinha Pastelaria Nível 4 – Ref EP/CPZ1/23/09 - Cercal - Entidade procura 1 candidato (a) para Estágio Emprego. Enviar CV para gip@insignare.pt até 30 setembro.

EP Técnico de Restaurante Bar Nível 4 – Ref EP/RB1/23/09 - Cercal - Entidade procura 1 candidato (a) para Estágio Emprego. Enviar CV para gip@insignare.pt até 30 setembro.

EP Técnico de Cozinha Pastelaria Nível 4 – Ref EP/CPZ2/23/09 - Fátima- Entidade procura 1 candidato (a) para Estágio Emprego. Enviar CV para gip@insignare.pt até 30 setembro.

EP Técnico de Restaurante Bar Nível 4 – Ref EP/RB1/23/09 - Fátima - Entidade procura 1 candidato (a) para Estágio Emprego. Enviar CV para gip@insignare.pt até 30 setembro.

EP SHST Nível 6  (M/F) Ref. Jornal RL 22/09 - Fátima

A Matceramica, uma das maiores fábricas de Cerâmica Utilitária na Europa de produção de louça Utilitária e Decorativa com exportação, especialmente, direcionada para países Europeus e E.U.A pretende reforçar a sua equipa da com a admissão de: ESTAGIÁRIO (A) ÁREA DE SHST. Com reporte ao Departamento de Produção Recursos Humanos / SHST a presente função implica Realização de Auditorias de SHST; Proporcionar formação aos colaboradores na área Riscos Profissionais, Organização da Emergência e Máquinas, Elaborar check list de verificação dos Equipamentos de Trabalho, Processo de Consulta aos Trabalhadores, Atualizar procedimentos ao nível de SHST entre outras. Procuramos preferencialmente candidatos com Licenciatura em Engenharias (Mecânica, Eletrotécnica e áreas afins); CAP nível V em SHST; CAP de Formador, Sem experiência profissional; Residência numa área geográfica de 20 km; Domínio de Legislação de SHST, Bons conhecimentos de Informática, nomeadamente, aplicações Office; Dinâmico e Proativo, Disponibilidade e Responsável e Capacidade de Análise e Resolução de Problemas. É requisito obrigatório cumprir com os requisitos para a realização de estágio profissional financiado pelo IEFP. Envie o seu C.V. para acompanhado de foto: rh@matceramica.com

Técnico de Montagem (M/F) Ref FH 23/09 – Maceira - Empresa do sector da metalomecânica procura jovem recém-formado na área da electromecânica para a Maceira. Enviar CV com indicação de Referencia R/9034/14 para:   R/9034-14@factorh.pt

Ajudante de Electricista para a zona de (M/F) Ref GJ 23/09 – Leiria/Batalha - Habilitações literárias ao nível do 12ºano de escolaridade (eliminatório); Experiência em funções similares; Conhecimentos de electricidade; Ambição; Dinamismo; Assiduidade/Pontualidade; Espirito de equipa; Disponibilidade horária e imediata. Condições: Vencimento Base 500€ + 4.27€ Subsidio de Alimentação + Proporcionais Disponibilidade para fazer horas Extras. Contacto patricia.candido@greatjob.pt

Responsável de exportação (M/F) Ref. Jornal RL 22/09 – Leiria - Seja o Responsável de Exportação de uma prestigiada empresa da Indústria Alimentar com sede em Leiria. Terá a seu cargo a dinamização do negócio no mercado internacional e a prospecção e acompanhamento de novos clientes. Deve possuir formação superior e experiência na função, preferencialmente no sector alimentar. É fundamental que tenha disponibilidade para deslocações frequentes para o estrangeiro, seja fluente em Inglês e possua conhecimentos de Espanhol e Francês. Este projeto proporciona um desafio interessante e perspetivas de evolução de carreira numa empresa em forte expansão. Enviar Curriculum Vitae para: Apartado 71 – 2426-998 Monte Redondo.

Empregado (M/F) Para café. Ref. Jornal RL 22/09 – Colmeias. Precisa-se com experiência. Zona de Colmeias. Resposta para o Tel. 914 589 327.

Técnico (M/F)  Ref. Jornal RL 22/09 – Leiria -  Gabinete de contabilidade em Leiria, admite

Com experiência. Preferência com conhecimentos de ARTSOFT. Enviar currículo para rh@lisdados.com

Motorista de Pesados (M/F).Ref. Jornal RL 22/09 – Batalha - Empresa de transportes especiais, com instalações na batalha, admite. Perfis pretendidos: – Experiência em equipamentos pesados; – Habilitação de CAM e CQM; – Disponibilidade imediata; – Sentido de Responsabilidade e Dinamismo; – Facilidade de Comunicação. Oferece-se: – Vencimento base em função da experiência demonstrada; – Entrada imediata. Marcação de entrevista 244 766 077.

 Afinador Máquinas Vidragem (M/F). Ref. Jornal RL 22/09 – Batalha - A Matceramica, uma das maiores fábricas de Cerâmica Utilitária na Europa de produção de louça Utilitária e Decorativa com exportação, especialmente, direcionada para países Europeus e E.U.A. pretende reforçar a sua equipa da Produção com a admissão  de afinador Máquinas de vidragem. Com reporte ao Departamento de Produção II a presente função implica a afinação e regulação de máquinas de vidragem automática rotativas por referência de produto e respetivo acompanhamento da máquina em termos de qualidade e produtividade. Procuramos, de preferência, candidatos com experiência mínima em funções similares; valorizamos conhecimentos do processo cerâmico; Proatividade, Dinamismo, Organização, Resiliente e com Disponibilidade imediata. Condições de trabalho e de Formação atrativas e integração em empresa sólida e dinâmica. Envie o seu C.V. para acompanhado de foto: rh@matceramica.com

Técnico Comercial (M/F) Ref. Jornal Mir 22/09 - Torres Novas

Empresa Multinacional, com actividade de comércio siderúrgico recruta, com o intuito de reforçar a sua Equipa de Vendas, colaborador com o seguinte perfil: Disponibilidade imediata; Habilitações ao nível 12 ano; Idade até 35. Oferece-se: Vencimento base compatível com experiência apresentada + Remuneração variável, Viatura de Serviço.

Colaborador departamento da qualidade/certificação (M/F) Ref. Jornal Mir 22/09 - Alcanena

O Centro Tecnológico das Indústrias do Couro admite colaborador: Implementação de Sistemas de Gestão da Qualidade, Segurança Alimentar, Ambiente e Segurança, Marcação CCE

Perfil: Formação superior em Gestão ou Engenharia; Experiência mínima de 3 anos em funções idênticas; Vocação para a área comercial; Residência na região. Envie o seu Curriculum Vitae para: CTIC - Centro Tecnológico das Indústrias do Couro. Rua da Estiveira – S. Pedro - Apartado 158 / 2384-909 Alcanena Telefone: (+351) 249 889 190 / email: alcinomartinho@ctic.pt



publicado por Carlos Gomes às 21:21
link do post | favorito
|

Quarta-feira, 30 de Julho de 2014
IDOSOS DE OURÉM PARTICIPAM NO PASSEIO SÉNIOR 2014

A Câmara Municipal de Ourém em parceria com as juntas de freguesia do concelho, promoveu mais uma vez a iniciativa Passeio Sénior, entre os dias 7 e 23 de julho. Este ano o destino foi Torres Novas e permitiu proporcionar a cerca de dois mil idosos do concelho um dia de convívio e a oportunidade de conhecer novos e interessantes locais.

Imagem 007

Ao longo dos 10 dias de Passeio Sénior, 2008 idosos visitaram o Museu Agrícola de Riachos, espaço que reúne um vasto espólio representativo da ruralidade que marcou o modo de vida das gentes riachenses, e as Ruínas Romanas de Vila Cardílio, uma vila rústica onde é possível observar ruínas romanas de uma casa agrícola, um sistema de aquecimento, termas e um pátio interior. O percurso terminou no Castelo de Torres Novas, onde se realizou o convívio.

Reinou um espírito descontraído e bem disposto com uma alegria dominante que contagiou os idosos a manifestarem vontade de participar na próxima edição. O convívio e a oportunidade de conhecer novos pontos de interesse foram os principais fatores para a sua participação.

A iniciativa foi desenvolvida pela Câmara Municipal de Ourém e pela empresa municipal Ourémviva e contou com a colaboração da Câmara Municipal de Torres Novas, Policia de Segurança Publica de Torres Novas e Rodoviária do Tejo.

Imagem 025

Imagem 051



publicado por Carlos Gomes às 12:47
link do post | favorito
|

Segunda-feira, 16 de Junho de 2014
OURÉM ORGANIZA PASSEIO SÉNIOR

A edição deste ano do Passeio Sénior, uma organização do Município de Ourém em colaboração com as juntas de freguesia, tem como destino o concelho de Torres Novas.

O passeio irá decorrer durante o mês de julho e contempla a visita ao Museu Agrícola dos Riachos e às Ruínas da Vila Cardilio. O almoço convívio terá lugar no castelo de Torres Novas.

Da parte da tarde haverá um passeio livre, com sugestão de visita ao museu Carlos Reis e Jardim das Rosas.

Destinado a cidadãos com idade igual ou superior a 65 anos, residentes no Município, a iniciativa pretende mais uma vez proporcionar aos participantes momentos de lazer e convívio.

Os interessados em participar deverão inscrever-se até ao dia 27 de junho na Junta de Freguesia da sua área de residência.



publicado por Carlos Gomes às 21:29
link do post | favorito
|

Terça-feira, 11 de Março de 2014
UTENTES DA SAÚDE DO MÉDIO TEJO PROMOVEM VIGÍLIA

A Comissão de Utentes da Saúde do Médio Tejo anunciou no decurso das conferências de imprensa que hoje realizou nas cidades de Abrantes, Tomar e Torres Novas promover uma vigília já no próximo dia 11 de abril e proceder à recolha de assinaturas com vista a reclamar” cuidados de saúde mais próximos e de mais qualidade no Médio Tejo”.

PELA NOSSA SAÚDE, RESPEITEM AS POPULAÇÕES DO MÉDIO TEJO E A SUA DIGNIDADE!

A vida provou que as sucessivas “reorganizações” do Centro Hospitalar do Médio Tejo e do ACES Médio Tejo (antes “Zêzere” e “Aire”), nos últimos dois anos trouxeram mais sofrimento e ansiedade a cada vez mais pessoas na Região. Piorou o acesso aos cuidados de saúde, a concentração de serviços não correspondeu a mais qualidade, as distâncias que doentes e familiares têm de percorrer implicam mais sofrimento físico e mais despesas.

Manifestamos a nossa preocupação com os cuidados de saúde prestados na região, reclamando por novas medidas e melhores respostas aos utentes. São necessários cuidados de saúde mais próximos e de mais qualidade no Médio Tejo. Em termos gerais, precisamos de: URGÊNCIA, MEDICINA INTERNA, PEDIATRIA e AMBULATÓRIO nos três hospitais (Abrantes, Tomar e T. Novas); MAIS MÉDICOS NOS CENTROS DE SAÚDE; MANTER A MATERNIDADE NO MÉDIO TEJO; FARMÁCIAS NOS MEIOS RURAIS; ARTICULAÇÃO ENTRE OS DIVERSOS NÍVEIS DE PRESTAÇÃO DE CUIDADOS; e, CUIDADOS DE SAÚDE DE PROXIMIDADE E QUALIDADE!

Nas nossas preocupações e nas nossas propostas estamos acompanhados por cada vez mais cidadãos, autarcas e responsáveis das unidades de saúde. Mas enquanto há unanimidade nas preocupações, já na atribuição das responsabilidades pela situação e na forma de resolver os problemas há divergências e silêncio por parte de alguns. Para a CUSMT continua a ser válida a proposta de organização dos cuidados de saúde nos princípios do SNS – Serviço Nacional de Saúde -, geral, universal, público, eficiente, eficaz e tendencialmente gratuito.

Estamos preocupados com os tempos de espera no serviço de urgências do CHMT, fruto da má organização (concentração) das urgências e da descoordenação com os cuidados primários, que nuns locais encerraram os serviços e noutros não têm horários compatíveis com a atividade da população. A maior parte dos centros de saúde não tem médicos em número suficiente para dar resposta aos utentes em termos de cuidados de saúde de proximidade. As urgências básicas de Torres Novas e Tomar não respondem às necessidades dos utentes e o seu envio para a urgência de Abrantes, não raras vezes, agrava as suas condições clínicas e as logísticas de uma unidade hospitalar que vê a procura aumentar também pela falta de muitos médicos de família (p.e. nos Concelhos de Abrantes e Sardoal).

Os sucessivos relatos das dificuldades de internamento (perderam-se mais de 20% das camas), ganham aspetos dramáticos com as distâncias e custos a suportar (combustíveis, portagens, ausência de transportes públicos) por familiares e utentes que são encaminhados para um serviço a dezenas de quilómetros e que, na falta de capacidade de internamento, é dada alta a meio da noite. A porta de entrada no CHMT, não é a porta de saída. Acresce a esta situação a “pressão” para antecipar as “altas”, quer em situações terminais quer em utentes a precisar de cuidados continuados.

O encerramento do internamento em Medicina Interna e ausência de Pediatria, na unidade hospitalar de Tomar veio afetar, para além da população local, também a dos concelhos de Ourém, Ferreira do Zêzere e Alvaiázere. A transferência de Torres Novas para Abrantes do internamento em Medicina Interna, afeta as populações dos Concelhos de Alcanena e Entroncamento. Em Abrantes, com a dramática falta de médicos de família (que se estende ao Concelho do Sardoal), a concentração de alguns serviços e a transferência de outros baixou a qualidade e aumentou os tempos de espera.

A maternidade do CHMT, instalada em Abrantes, deve ser defendida a todo o custo. Apesar do decréscimo do número de partos, a sua importância social e regional é razão para que se lute pela sua valorização. Já em Novembro de 2011, na primeira reunião com o atual Conselho de Administração do CHMT levantamos duas questões prementes para a prestação de cuidados de saúde no Médio Tejo, a articulação entre cuidados de saúde (hospitalares, primários e continuados) e a necessidade de dinamizar a procura dos serviços de maternidade no hospital de Abrantes. Ao que consta pouco ou nada foi feito nestas áreas. Os maus resultados alcançados provam que as nossas propostas foram e são oportunas.

Estamos preocupados com os testemunhos de permanência de longas listas de espera para cirurgias e consultas. Estamos preocupados com as políticas de destruição do SNS, promovidas pelo Governo e seguidas localmente pelos gestores das unidades de saúde, que constituem um entrave a atos de gestão corrente de importância vital para os doentes, como sejam a aquisição de medicamentos, a contratação de meios complementares de diagnóstico ou mesmo a gestão de stock’s de material hospitalar.

Quando se pretende ganhos em saúde, tem de se investir em saúde pública e nos cuidados primários. E, infelizmente, é principalmente neste patamar que há as maiores carências em termos de médicos, enfermeiros e outros profissionais.

Algumas questões de saúde pública são deveras preocupantes, como os rácios de suicídios, do recrudescimento da toxicodependência, má nutrição em algumas faixas da população, a existência de amianto em ambiente escolar (e hospitalar?) O encerramento de Extensões de Saúde, a “perspetiva” real de mais encerrarem (nem as prometidas Unidades Móveis de Saúde existem), a dificuldade no transporte de doentes (mesmo em alguns casos de urgência), agravam as dúvidas dos utentes perante os Serviços de Saúde.

Ao não contratar enfermeiros (necessário concretizar o “enfermeiro de família”), ao não dar condições a médicos reformados para continuar a trabalhar nos Centros de Saúde, ao não despachar os requerimentos dos médicos que querem passar às 40 horas, ao colocar obstáculos às autarquias que oferecem incentivos à instalação de médicos, ao impor restrições orçamentais (que afetam p.e. os MCDT), o Ministério da Saúde está objetivamente a contribuir para o sofrimento das populações e a “abrir portas” aos grupos privados na saúde. Estar doente e precisar de cuidados de saúde, já é fonte suficiente de sofrimento. Infelizmente esse sofrimento é agravado pela ausência de serviços de saúde em muitos locais ou pela sua transferência para bem longe (p.e. as farmácias que saem das aldeias para os meios urbanos), como se as famílias não estivessem já a ser castigadas com a redução de salários, de pensões e outras prestações sociais.

Os portugueses produzem suficiente riqueza e as tecnologias da saúde avançaram tanto, que não se compreende que por falta de financiamento e má organização se ponha em causa a dignidade e, em alguns casos, a vida dos cidadãos.

Estamos certos de que as nossas propostas para além de serem viáveis e sustentáveis são as que respondem às necessidades das populações em matéria de cuidados de saúde. De uma forma persistente e quotidiana procuramos que as entidades responsáveis concretizem as nossas propostas. Para lhes dar legitimidade e sentido de reivindicação humana, social e política, vamos lançar um abaixo-assinado como forma de as populações poderem expressar de forma clara e objetiva o apoio às propostas apresentadas. De hoje a 23 de Abril, por muitas localidades e em centenas de locais irão ser recolhidas dezenas de milhares de assinaturas.

E promover uma VIGILIA/CONCENTRAÇÃO de Comissões de Utentes da Saúde, no dia 11 de Abril, entre as 19,30 horas e as 22,30 horas, para fazer o balanço da iniciativa de recolha de assinaturas e dar conta dos problemas e avanços na prestação de cuidados de saúde no Médio Tejo.

Consideramos a saúde o bem mais importante do ser humano, por isso não desistiremos de ter na nossa região cuidados de saúde de proximidade e qualidade!

A Comissão de Utentes da Saúde do Médio Tejo

 



publicado por Carlos Gomes às 21:18
link do post | favorito
|

Sexta-feira, 24 de Janeiro de 2014
JUVENTUDE OURIENSE DANÇA AMANHÃ EM TORRES NOVAS AO SOM DE MÚSICA INTERPRETADA PELA SOCIEDADE FILARMÓNICA OURIENSE

Play it! Skate it! Movie Sounds...

A Secção de Patinagem Artística do Clube Desportivo de Torres Novas (CDTN), o Juventude Ouriense (JO) e a Sociedade Filarmónica Ouriense (SFO) vão realizar um espetáculo em conjunto, em que as classes das secções de Patinagem Artística do CDTN e do JO irão dançar ao som de bandas sonoras de filmes, executadas ao vivo pala Banda da SFO.

Este espetáculo, com um formato inédito, será apresentado no dia 25 de janeiro, pelas 21h00, no Palácio dos Desportos, em Torres Novas. Conta ainda com a participação do Hóquei Clube “Os Tigres” de Almeirim e do Clube Aventura e Motorizado do Pego, que interpretarão músicas subordinadas ao tema do espetáculo, também acompanhados pela banda da SFO.

A entrada é livre para as crianças até aos 10 anos de idade.



publicado por Carlos Gomes às 00:05
link do post | favorito
|

Sábado, 18 de Janeiro de 2014
JUVENTUDE OURIENSE DANÇA AO SOM DE MÚSICA INTERPRETADA PELA SOCIEDADE FILARMÓNICA OURIENSE

Play it! Skate it! Movie Sounds...

A Secção de Patinagem Artística do Clube Desportivo de Torres Novas (CDTN), o Juventude Ouriense (JO) e a Sociedade Filarmónica Ouriense (SFO) vão realizar um espetáculo em conjunto, em que as classes das secções de Patinagem Artística do CDTN e do JO irão dançar ao som de bandas sonoras de filmes, executadas ao vivo pala Banda da SFO.

Este espetáculo, com um formato inédito, será apresentado no dia 25 de janeiro, pelas 21h00, no Palácio dos Desportos, em Torres Novas. Conta ainda com a participação do Hóquei Clube “Os Tigres” de Almeirim e do Clube Aventura e Motorizado do Pego, que interpretarão músicas subordinadas ao tema do espetáculo, também acompanhados pela banda da SFO.

A entrada é livre para as crianças até aos 10 anos de idade.



publicado por Carlos Gomes às 00:04
link do post | favorito
|

Sexta-feira, 10 de Janeiro de 2014
JUVENTUDE OURIENSE DANÇA AO SOM DE MÚSICA INTERPRETADA PELA SOCIEDADE FILARMÓNICA OURIENSE

Play it! Skate it! Movie Sounds...

A Secção de Patinagem Artística do Clube Desportivo de Torres Novas (CDTN), o Juventude Ouriense (JO) e a Sociedade Filarmónica Ouriense (SFO) vão realizar um espetáculo em conjunto, em que as classes das secções de Patinagem Artística do CDTN e do JO irão dançar ao som de bandas sonoras de filmes, executadas ao vivo pala Banda da SFO.

Este espetáculo, com um formato inédito, será apresentado no dia 25 de janeiro, pelas 21h00, no Palácio dos Desportos, em Torres Novas. Conta ainda com a participação do Hóquei Clube “Os Tigres” de Almeirim e do Clube Aventura e Motorizado do Pego, que interpretarão músicas subordinadas ao tema do espetáculo, também acompanhados pela banda da SFO.

A entrada é livre para as crianças até aos 10 anos de idade.



publicado por Carlos Gomes às 21:01
link do post | favorito
|

Segunda-feira, 6 de Janeiro de 2014
UTENTES DE SAÚDE DE OURÉM CONTINUAM A SER ENCAMINHADOS PARA OS HOSPITAIS DE ABRANTES, TOMAR E TORRES NOVAS

Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo reafirma encaminhamento de utentes de Ourém para o Centro Hospitalar do Médio Tejo

Face às notícias veiculadas, por vários meios de comunicação social, sobre a possibilidade dos utentes do Município de Ourém passarem a ser encaminhados para o Centro Hospitalar de Leiria/Pombal, a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo fez chegar um ofício à Câmara Municipal onde reafirma não existir qualquer intenção para alterar a condição dos utentes oureenses.

Transcrevemos na íntegra o ofício recebido:

“O concelho de Ourém está integrado no ACES Médio Tejo da área geográfica da ARS LVT, não tendo havido qualquer alteração ao estabelecido nos termos da legislação em vigor, que cria os novos Agrupamentos de Centros de Saúde.

A referenciação do ACES Médio Tejo, por inerência da população do concelho de Ourém, é para o Centro Hospitalar do Médio Tejo, constituído por 3 unidades hospitalares nomeadamente, Abrantes, Torres Novas e Tomar.

O Centro Hospitalar de Leiria/Pombal, EPE, pertence à área de influência da Administração Regional de Saúde do Centro, não tendo esta Administração Regional de Saúde qualquer intervenção para alterar a referenciação/encaminhamento de utentes para esse Centro Hospitalar.

Em matéria de respostas de saúde, não descurando a questão da proximidade da população ao Centro Hospitalar de Leiria/Pombal, EPE, os serviços assistenciais disponibilizados pelo CHMT, EPE, e pelo ACES Médio Tejo, asseguram com qualidade e eficácia os cuidados de saúde prestados à população do Concelho de Ourém.”



publicado por Carlos Gomes às 18:14
link do post | favorito
|

Sexta-feira, 6 de Setembro de 2013
GRUPO "DEOLINDA" ATUA AMANHÃ EM TORRES NOVAS



publicado por Carlos Gomes às 00:07
link do post | favorito
|

Sexta-feira, 16 de Agosto de 2013
GRUPO "DEOLINDA" ATUA EM TORRES NOVAS



publicado por Carlos Gomes às 00:06
link do post | favorito
|

Terça-feira, 14 de Maio de 2013
CHORUS AURIS PARTICIPA NO ENCONTRO DE COROS DO RIBATEJO

O XXII Encontro de Coros do Ribatejo tem data marcada para o próximo domingo, dia 19 de maio, a partir das 18 horas, no Teatro Virgínia, em Torres Novas. Nele participam, além do Chorus Auris de Ourém, o coro Canto Firme de Tomar, o Orfeão de Abrantes, o Coro do Círculo Cultural Scalabitano de Santarém e o Choral Phydellius.

Encontro%20Coros%20ribatejo%20(183x200)

O espetáculo é aberto a todo o público com mais de 4 anos de idade e tem uma duração de duas horas, com intervalo.

A edição deste ano do Encontro de Coros do Ribatejo está associada às comemorações do 56º Aniversário do Choral Phydellius, apresentando-se como uma montra de música coral de vários géneros, épocas e línguas, terminando com algumas obras executadas em conjunto por cerca de 150 coralistas. A primeira edição deste evento teve lugar em 1975, em Santarém, e desde então vem constituindo uma iniciativa de referência que quase todos os anos tem lugar na nossa região.



publicado por Carlos Gomes às 07:59
link do post | favorito
|

Sábado, 2 de Junho de 2012
UTENTES DA SAÚDE DO MÉDIO TEJO REUNEM-SE EM TORRES NOVAS

Os Utentes da Saúde do Médio Tejo vão marcar presença na concentração que hoje se realiza em Tomar, pelas 18 horas, contestando o encerramento do Hospital de Nossa Senhora da Graça e, na próxima segunda-feira, vão reunir-se frente ao Hospital de Torres Novas em virtude do anúncio de encerramento de serviços naquele centro hospitalar.

Recebemos da Comissão de Utentes da Saúde do Médio Tejo (CUSMEDIO TEJO) a seguinte informação.

“Foi tornada pública a intenção governamental de encerrar mais serviços no Centro Hospitalar do Médio Tejo (por exemplo, acaba Pediatria em Torres Novas). Face à gravidade da situação a Comissão de Utentes da Saúde do Médio Tejo, vai reunir extraordinariamente na próxima segunda-feira, às 18,30 horas, frente ao Hospital de Torres Novas, para decidir de iniciativas públicas de contestação às dificuldades crescentes no acesso a cuidados de saúde.

Apelamos à presença de todos os interessados na defesa de cuidados de saúde de proximidade e de qualidade.

PELA NOSSA SAÚDE!

TORRES NOVAS, frente ao hospital

Dia 4.de junho, a partir das 18h30 horas”



publicado por Carlos Gomes às 10:19
link do post | favorito
|

Quinta-feira, 24 de Maio de 2012
UTENTES DE SAÚDE DO MÉDIO TEJO CONCENTRAM-SE AMANHÃ EM TORRES NOVAS PARA PROTESTAR CONTRA O ENCERRAMENTO DE UNIDADES HOSPITALARES

A Comissão de Utentes de Saúde do Médio Tejo (CUSMT) promove amanhã, a partir das 20 horas, na Praça 5 de Outubro, em Torres Novas, uma vigília “Pela Nossa Saúde!”.

Pretende-se, com esta iniciativa, reclamar o aproveitamento integral das unidades de saúde do Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) que abrange os hospitais de Abrantes, Tomar e Torres Novas, protestando contra o encerramento de serviços hospitalares, de Extensões de Saúde, de urgência, medicina interna, pediatria e cirurgia do ambulatório nas três unidades do CHMT.

A Comissão de Utentes de Saúde do Médio Tejo apelar à participação nesta vigília por parte das populações abrangidas por estes serviços hospitalares, manifestando-se e dando a sua opinião.



publicado por Carlos Gomes às 18:14
link do post | favorito
|

Sábado, 19 de Maio de 2012
UTENTES ORGANIZAM VIGÍLIA CONTRA ENCERRAMENTO DE UNIDADES HOSPITALARES

A Comissão de Utentes de Saúde do Médio Tejo (CUSMT) promove uma vigília “Pela Nossa Saúde!”, pelo aproveitamento integral das unidades de saúde do Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) que abrange os hospitais de Abrantes, Tomar e Torres Novas. A vigília realiza-se no próximo dia 25 de maio, a partir das 20 horas, na Praça 5 de Outubro, em Torres Novas.

Pelo aproveitamento integral das unidades de saúde, contra o encerramento de serviços hospitalares, de Extensões de Saúde, de urgência, medicina interna, pediatria e cirurgia do ambulatório nas três unidades do CHMT são as reivindicações que levam a Comissão de Utentes a convocar esta vigília e a apelar à participação das populações abrangidas por estes serviços hospitalares, manifestando-se e dando a sua opinião.



publicado por Carlos Gomes às 09:22
link do post | favorito
|

Quinta-feira, 12 de Abril de 2012
CONCURSO DE FOTOGRAFIA VAI DAR A CONHECER O RIBATEJO RURAL

Em resposta ao desafio lançado pela Rede Europeia de Desenvolvimento Rural, a Associação para o Desenvolvimento Integrado do Ribatejo Norte (ADIRN) vai participar no concurso de fotografia “Images of Rural Europe”, que visa promover e celebrar o desenvolvimento rural da Europa.

Neste âmbito, a ADIRN vai desenvolver a nível local o concurso de fotografia “Vivências Rurais do Ribatejo Norte”, o qual tem como principais objetivos reunir uma gama diversificada de fotografias que reflitam a vida rural nos seis concelhos do Ribatejo Norte, concretamente Alcanena, Ferreira do Zêzere, Ourém, Tomar, Torres Novas e Vila Nova da Barquinha, valorizar a fotografia enquanto forma de expressão artística, estímulo da criatividade daqueles que se dedicam ao prazer de captar imagens, bem como sensibilizar a população para as questões do Meio Rural.

Para conhecer o regulamento do concurso basta aceder ao site da Rede Rural Nacional (RRN) em www.rederural.pt



publicado por Carlos Gomes às 09:40
link do post | favorito
|

Segunda-feira, 13 de Fevereiro de 2012
OURÉM: COMPANHIA DE TEATRO “FATIAS DE CÁ” LEVA À CENA “A MENINA INÊS PEREIRA” NA QUINTA DO MONTALTO

A Companhia de Teatro Amador “ Fatias de Cá” vai levar à cena, no próximo dia 18 de Fevereiro, a partir das 17h, a peça de Teatro “A Menina Inês Pereira”, a partir da obra “A farsa de Inês Pereira”, de Gil Vicente. O palco vai ser a Quinta do Montalto, na freguesia do Olival. Este espetáculo insere-se na parceria que esta companhia de teatro estabeleceu com a ADIRN – Associação para o Desenvolvimento Integrado do Ribatejo Norte, no âmbito do Projeto Histórias Decantadas.

393400_330391183645000_100000223641881_1492091_185

A ADIRN – Associação para o Desenvolvimento Integrado do Ribatejo Norte, é uma associação sem fins lucrativos, com intervenção nos concelhos de Alcanena, Ferreira do Zêzere, Ourém, Tomar, Torres Novas e Vila Nova da Barquinha. A ADIRN encontra-se neste momento a organizar uma série de espetáculos em parceria com a companhia de Teatro Amador “ Fatias de Cá”.

Apresenta entre as suas áreas de intervenção, a cooperação para o desenvolvimento rural, tendo neste âmbito aprovados alguns projetos, nomeadamente o das “Histórias Decantadas”. Este projeto pretende agregar a cultura e tradições rurais aos produtos e recursos locais. Esta conjugação permite a criação de produtos culturais, sob a forma de espetáculos interativos, que serão apresentadas de maneira inovadora em locais singulares. No projeto “Histórias Decantadas”, pretende-se que a cultura associada aos produtos e recursos locais fomente um processo de criação artística, tendo como resultado o fortalecimento da identidade e visibilidade dos territórios, fornecendo-lhe reconhecimento e sentido de pertença e que seja um agente de identificação pessoal e social, um modelo que integra segmentos sociais e geracionais, numa lógica que desperta as capacidades internas dos indivíduos e dos territórios, fomentando a interação entre entidades e grupos locais, numa forma de mutualizar recursos e expandir as potencialidades.

A imagem mostra um aspeto da residência da Quinta do Montalto



publicado por Carlos Gomes às 19:38
link do post | favorito
|

Domingo, 29 de Janeiro de 2012
COMPANHIA DE TEATRO “FATIAS DE CÁ” APRESENTA “A MENINA INÊS PEREIRA” NA ADEGA DIVINIS, EM OURÉM

A Companhia de Teatro Amador “ Fatias de Cá” vai levar à cena, no próximo dia 4 de Fevereiro, a partir das 17h, a peça de Teatro “A Menina Inês Pereira”, a partir da obra “A farsa de Inês Pereira”, de Gil Vicente. O palco vai ser a Adega Divinis – Agroprodutos de Ourém, S.A. Este espetáculo insere-se na parceria que esta companhia de teatro estabeleceu com a ADIRN – Associação para o Desenvolvimento Integrado do Ribatejo Norte, no âmbito do Projeto Histórias Decantadas.

393400_330391183645000_100000223641881_1492091_185

A ADIRN é uma associação sem fins lucrativos, com intervenção nos concelhos de Alcanena, Ferreira do Zêzere, Ourém, Tomar, Torres Novas e Vila Nova da Barquinha. Apresenta entre as suas áreas de intervenção, a cooperação para o desenvolvimento rural, tendo neste âmbito aprovados alguns projetos, nomeadamente o das “Histórias Decantadas”. Este projeto pretende agregar a cultura e tradições rurais aos produtos e recursos locais.

Esta conjugação permite a criação de produtos culturais, sob a forma de espetáculos interativos, que serão apresentadas de maneira inovadora em locais singulares. No projeto “Histórias Decantadas” pretende-se que a cultura associada aos produtos e recursos locais fomente um processo de criação artística, tendo como resultado o fortalecimento da identidade e visibilidade dos territórios, fornecendo-lhe reconhecimento e sentido de pertença e que seja um agente de identificação pessoal e social, um modelo que integra segmentos sociais e geracionais, numa lógica que desperta as capacidades internas dos indivíduos e dos territórios, fomentando a interação entre entidades e grupos locais, numa forma de mutualizar recursos e expandir as potencialidades. A ADIRN Encontra-se neste momento a organizar uma série de espetáculos em parceria com a companhia de Teatro Amador “ Fatias de Cá”.



publicado por Carlos Gomes às 22:20
link do post | favorito
|

Sábado, 28 de Janeiro de 2012
UTENTES DE SAÚDE CONTESTAM A “REORGANIZAÇÃO DO CENTRO HOSPITALAR DO MÉDIO TEJO

Recebemos da Comissão de Utentes de Saúde do Médio Tejo a nota de imprensa que a seguir se divulga.

NOTA da CUSMT

Sobre as Reuniões Públicas em Tomar, Abrantes e Torres Novas

SÓ COM A COORDENAÇÃO E A MELHORIA DE CENTROS DE SAÚDE, HOSPITAIS E CUIDADOS CONTINUADOS É POSSÍVEL RESPONDER ÀS NECESSIDADES DAS POPULAÇÕES

A “REORGANIZAÇÃO DO CHMT” APRESENTADA PELO CA, VEM DIFICULTAR O ACESSO A CUIDADOS DE SAÚDE

Na sequência da apresentação de um Plano de Reorganização pela Administração do Centro Hospitalar do Médio Tejo, foram muitas e variadas as intervenções de diversas entidades da Região.

A Comissão de Utentes logo que teve conhecimento do documento e face à ausência de justificações para as medidas adotadas solicitou uma suspensão de concretização do processo, com o objetivo de encontrar as melhores soluções para facilitar o acesso a cuidados de saúde em termos de proximidade e qualidade.

Na sequência dessa posição, com o objetivo de dar voz aos verdadeiros interessados, os utentes, esta Comissão de Utentes realizou reuniões públicas em Tomar, Abrantes e Torres Novas, para debate sobre a prestação de cuidados de saúde nas Unidades Hospitalares e nos Centros de Saúde.

Da participação ativa dos cidadãos, pode-se concluir:

Não aceitação do Plano de Reorganização, por dificultar o acesso a cuidados de saúde, não ter em conta a participação da comunidade, por ausência de coordenação com cuidados primários e continuados, por não quantificar nem justificar os resultados esperados, o que deixa as maiores duvidas se resolve os problemas financeiros. Ficou claro que os utentes defendem que as Urgências sejam adaptadas às necessidades em cada unidade hospitalar, que a Pediatria e Medicina Interna sejam três valências comuns às três unidades e que se desenvolvam e criem novas valências.

Se não houver mais médicos de família e enfermeiros, mais cuidados de proximidade com funcionamento de Extensões de Saúde e Unidades Móveis, não se conseguirá resolver o problema das urgências “não agudas”, no CHMT. Se não houver mais unidades de cuidados continuados a gestão de altas no CHMT não poderá ser mais eficiente. Se não houver coordenação entre os níveis de prestação de cuidados de saúde e o aproveitamento da capacidade instalada, vão sofrer as populações e vai aumentar a despesa do SNS.

Constatou-se a existência de interesses privados (empresariais e pessoais) mas a solução não está no encerramento ou privatização do todo ou de partes do CHMT. Defende-se a utilização de toda a capacidade instalada e um combate à promiscuidade público-privada.

Foram expressas muitas formas de reforçar a ação popular para defender o direito a cuidados de saúde na Região do Médio Tejo, de que são exemplos as manifestações em Tomar, o Abaixo-assinado pela Pediatria em Abrantes, a grande participação de cidadãos na reunião pública de Torres Novas.

Na próxima quarta-feira, a Comissão de Utentes entregará ao Conselho de Administração do Centro Hospitalar do Médio de Tejo uma proposta formal com medidas que devem ser tomadas em todos os níveis de prestação de cuidados de saúde na Região que, no entender da Comissão de Utentes, poderá ser uma base de trabalho para em conjunto com a população e outras entidades, se encontrar o melhor caminho para a utilização eficaz dos meios existentes com a satisfação das necessidades de cuidados de saúde por parte das populações.

Em breve, serão também divulgadas as iniciativas que reforçarão o movimento de opinião e reivindicativo da população do Médio Tejo em torno da exigência de justiça social em matéria de acesso a cuidados de saúde de proximidade e de qualidade.

A Comissão de Utentes da Saúde do Médio Tejo

Médio Tejo, 28 de Janeiro de 2012.



publicado por Carlos Gomes às 19:47
link do post | favorito
|

Domingo, 22 de Janeiro de 2012
DEPUTADO SOCIAL-DEMOCRATA ABÍLIO RODRIGUES ABORDOU EM 1987, NA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA, AS CARÊNCIAS DA NOSSA REGIÃO NOMEADAMENTE NA ÁREA DA SAÚDE

Na sessão plenária da Assembleia da República realizada em 12 de Fevereiro de 1987, o deputado social-democrata Abílio Rodrigues fez uma intervenção na qual abordou aspetos de interesse para a nossa região, incluindo o Concelho de Ourém. Falou de saúde, hospitais, ensino e outras áreas de desenvolvimento regional. A referida reunião plenária foi então presidida pelo Dr. Marques Mendes. Porque alguns dos temas que o deputado Abílio Rodrigues referiu, aliás muito aplaudido pelos membros da sua bancada, se revelam ainda bastante atuais, decidimos recordar a sua intervenção, transcrevendo-a diretamente do Diário da Assembleia da República.

 

"O Sr. Abílio Rodrigues (PSD): - Sr. Presidente, Srs. Deputados: Período de antes da ordem do dia tempo disponível para, de modo construtivo, se reflectir sobre questões importantes - sobretudo de âmbito nacional ou regional -, mas que alguns aproveitam mais para o ataque, para o colher de eventuais dividendos juntos de clientelas políticas.

Pensamos mesmo que, talvez pelo recorte das intervenções a que aqui vamos assistindo, amiudadamente, sob esta figura regimental, o seu conteúdo vem perdendo importância e peso, quase caminhando mais para um ritual que se tem de cumprir, do que para algo a que entidades ou o próprio poder deveriam ter em atenção e responder.

Na esperança de que esta minha intervenção ainda toque os centros adequados, falarei sobre o meu distrito, o de Santarém. Do que se faz e do que tem de ser feito. Do presente e do futuro.

Sr. Presidente, Srs. Deputados: O PIDDAC (Plano de Investimentos e Desenvolvimento da Administração Central) para 1987 contempla verbas apreciáveis para múltiplos sectores da actividade do distrito. Existem verbas para a educação: Escola Preparatória de Santarém, Escola Preparatória de Torres Novas e Escola Superior de Tomar. Existem verbas para a saúde: Centros de Saúde do Entroncamento e Ourém. Existem verbas para as vias de comunicação: estradas nacionais entre Batalha e Fátima, entre Ourém e Fátima, entre Infantado e Monte da Barca, variante da estrada nacional n.º 1, entre Asseiceira e Alto da Serra. Existem verbas para centros de formação profissional em Tomar e Santarém. Existem verbas para quartéis de bombeiros para Constância e para a Barquinha. Existem verbas para o Tribunal de Coruche.

Saudámo-las, sem que isso signifique que a região tem o que precisa e merece, pois ela, a nosso ver, exige mais; exige mesmo bastante mais, quando comparada com outras zonas do País e quando avaliada em termos da sua potencialidade e do seu possível contributo para a economia e para a riqueza nacionais. E também o bem-estar da sua população exige mais dentro do todo que, racionalmente, há para distribuir.

Sabemos quanto é fácil pedir e compreendemos quanto é difícil satisfazer. Mas isso não nos impede, contudo, de reflectir construtivamente sobre carências, já que o fazemos para bem e por bem.

No campo da saúde, é certo que no distrito foram investidos recentemente alguns milhares de contos em construções hospitalares, nomeadamente em Santarém e Abrantes, mas subsistem algumas roturas na assistência prestada pelo Hospital de Torres Novas, cuja capacidade está mais do que esgotada, e no Hospital de Tomar, cujas instalações, altamente deficientes, só terão solução com a construção de um novo hospital. Cada uma destas instalações hospitalares tem a sua área própria de captação de doentes, não sendo possível drenar estes para o Hospital de Abrantes, pese embora a sua capacidade excedentária.

No sector dos cuidados primários existem, ainda e também, carências apreciáveis no distrito, sendo urgente a construção de novos centros de saúde no Cartaxo e em Coruche.

Pensamos mesmo que a saúde, hoje, em Portugal é um tema importante a reflectir e a merecer respostas corajosas. Acreditamos que dispomos de bons médicos, mas o salto tecnológico verificado nos últimos anos nos meios de diagnóstico e de tratamento continua sem beneficiar a maioria do povo português. E interrogamo-nos muitas vezes por que não se compra (por ser cara) aparelhagem da ordem das dezenas de milhar de contos que pode inverter completamente a «percentagem de vida» de doentes, enquanto algum sector empresarial do Estado vai, calmamente, absorvendo por ano milhões de contos em indemnizações compensatórios e investimentos, enquanto se mantêm, por critérios políticos, empresas ou actividades inviáveis que não deixam o País partir à procura de uma melhor qualidade de vida.

Vozes do PSD: - Muito bem!

O Orador: - No âmbito da educação, o distrito tem progredido a bom ritmo, sendo de realçar a recente entrada em funcionamento do Instituto Politécnico de Tomar (com três cursos) e o alargamento do campo de acção do Politécnico de Santarém, com a abertura da Escola Superior de Educação e da de Gestão. Mas este grau de ensino tem que alastrar a outras zonas do distrito, nomeadamente a Abrantes, o que acreditamos poder o Governo propiciar com alguma celeridade.

No campo do ambiente, alguns passos importantes foram dados pelo actual Governo, avançando-se, finalmente (assim o esperamos), para a resolução do grave

problema da poluição do rio Alviela, subsistindo, contudo, situações gravíssimas de poluição dos rios Almonda, Rio Maior e Nabão, que têm de começar, imediatamente, a ser resolvidas. Dispomos para o efeito de um sector eficaz e dinâmico no Governo; temos uma nova lei de bases do ambiente; temos de poder dispor de algumas verbas para começar.

Quanto a vias de comunicação, temos uma visão crítica da situação, já que, em nosso entender, o distrito merece um tipo de tratamento radicalmente diferente do que vem sucedendo desde há vários anos. Em nosso entender, há milhões de contos investidos e previstos investir em regiões cuja rendibilidade global para o País e cujos benefícios para a massa total de utentes que toca são bastante inferiores às que derivariam de um investimento da mesma ordem de grandeza no distrito de Santarém.

As vias de ligação à Europa são importantes, sem dúvida! Mas as ligações entre regiões do País não serão mesmo mais prioritárias?

Ligar centros pobres e enfraquecidos economicamente com centros mais desenvolvidos é imprescindível como acção correctora das assimetrias regionais. Mas as ligações de regiões potencialmente ricas com outras já desenvolvidas serão menos prioritárias que aquelas?

Julgamos existirem razões para as interrogações que colocamos, tomando como base a situação actual do distrito de Santarém quanto a vias de comunicação.

Não queremos culpar ninguém; nem o passado, nem muito menos o presente, que dá sinais de mudança e de esperança. Mas não podemos calar quando vislumbramos, num horizonte próximo, uma via rápida (ou equivalente) ligando Santarém a Lisboa e enquanto centros importantes como Santarém, Coruche, Abrantes, Mação, Tomar, Torres Novas, Ourém, Ferreira do Zêzere e Alcanena não disponham, entre si e com Lisboa, de estradas rápidas, embora reconheçamos e assinalemos que já alguma coisa está a ser feita nesse sentido.

Também as ligações ferroviárias entre várias zonas do distrito e destas com Lisboa ou Coimbra necessitam de uma reflexão profunda e urgente. O eixo Santarém-Lisboa ganha rapidamente características de tráfego suburbano, necessitando de tratamento adequado. As ligações ferroviárias entre Tomar-Lisboa e Abrantes-Lisboa, por exemplo, merecem já hoje uma melhor resposta da oferta.

Também é chegada a hora de se reflectir sobre as ligações aéreas. Um pólo de grande atracção, como é Fátima, aliado a uma vasta zona de potencialidade turística que lhe está adjacente, merece um aeródromo e que, de uma vez para sempre, se resolva a abertura, ou não, ao serviço público do aeroporto militar de Monte Real.

O arrastar de uma decisão sobre esta matéria só tem servido para invalidar o avanço de outras soluções.

Sabemos que o actual Governo não pactua com situações de impasse e com indecisões e estamos seguros de que desta vez se irá saber se a região irá dispor do aeroporto de Monte Real ou se, em alternativa, se terá de pensar num aeródromo civil de tipo regional. Não reivindicamos, nem privilegiamos esta ou aquela solução; só pedimos que se enverede abertamente por uma.

A agricultura é, no distrito de Santarém, o mais importante sector de actividade e o que mais perspectivas oferece no futuro. Dispõe o distrito das mais ricas terras do Pais, o que só por si será aspecto suficiente para se apostar fortemente na sua modernização, de se apostar no investimento nos variados aspectos da sua vida.

Impõe-se com urgência um plano de desenvolvimento agrícola para a Região inserido num contexto mais alargado de um plano integrado de desenvolvimento regional.

Plano único para todo o distrito ou um plano para cada uma das sub-regiões: Lezíria e Médio Tejo? O que é importante é que surja, com brevidade, algo que faça explodir uma região que tem de ser despertada para bem do País.

Nós acreditamos!

Sr. Presidente, Srs. Deputados: Pertencer a um partido como o PSD permite-nos apoiar inteiramente o Governo, sem, contudo, estarmos inibidos de lhe apontar as opiniões e os caminhos mais prementes, que vamos tirando dos contactos estreitos que mantemos com as populações. É mesmo o nosso dever como deputados de um partido que se reclama, e é, verdadeiramente, social-democrata.

E quando temos pela frente um Governo receptivo e disposto a governar por inteiro, um Governo eficaz, é altura de, por isso mesmo, o aproveitar e lhe pedir mais e melhor para uma boa região onde vale a pena apostar."



publicado por Carlos Gomes às 01:08
link do post | favorito
|

Quarta-feira, 18 de Janeiro de 2012
UTENTES DE SAÚDE REÚNEM COM CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DO CENTRO HOSPITALAR DO MÉDIO TEJO

A Comissão de Utentes de Saúde do Médio Tejo (CUSMT) reuniu ontem com o Conselho de Administração do Centro Hospitalar do Médio Tejo para esclarecer aspetos relacionados com o respetivo Plano de Reorganização. Em causa está, nomeadamente, a possibilidade de virem a ser encerrados dois dos três atuais hospitais da região. A CUSMT emitiu a nota de imprensa que a seguir publicamos:

“A convite do CA do CHMT, a Comissão de Utentes da Saúde do Médio Tejo esteve presente numa reunião hoje, 17 de Janeiro, na Unidade Hospitalar de Torres Novas, onde lhe foi apresentado e explicado o Plano de Reorganização do CHMT.

A CUSMT teve a oportunidade de expor as suas ideias sobre a organização dos cuidados de saúde na Região e, face à ausência de alguns dados sobre o impacto das medidas anunciadas (p.e. a coordenação funcional com os Cuidados Primários indispensável para haver resposta satisfatória nas urgências), propôs a suspensão temporária do Plano de Reorganização. Assim, em conjunto com todas as entidades interessadas e representativas da comunidade regional, procurar-se-iam as soluções mais correctas para ser salvaguardada a qualidade e a proximidade dos cuidados de saúde.

Para análise do Plano que vai ser implementado (pelo CA, com o acordo do Ministro da Saúde), a CUSMT vai reunir na próxima segunda-feira e vai realizar reuniões públicas para debate com as populações sobre a prestação de cuidados de saúde no Médio Tejo.

 As reuniões realizam-se em: TOMAR, 25 de Janeiro, 21 horas (na JF Sta Maria Olivais, a confirmar); ABRANTES, 26 de Janeiro, 21 horas (na JF S. Vicente, a confirmar); TORRES NOVAS, 27 de Janeiro, 21 horas, no Montepio Nossa Senhora da Nazaré.”



publicado por Carlos Gomes às 09:35
link do post | favorito
|

Terça-feira, 17 de Janeiro de 2012
REGIÃO DO MÉDIO TEJO PODE PERDER DOIS DOS TRÊS ATUAIS HOSPITAIS: COMISSÃO DE UTENTES DE SAÚDE PEDE EXPLICAÇÕES ACERCA DA VERACIDADE DA NOTÍCIA

A Comissão de Utentes de Saúde do Médio Tejo (CUSMT) acaba de enviar há instantes ao Presidente do Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) o pedido, por correio electrónico, para que lhe sejam prestadas “informações sobre a veracidade da informação divulgada pela RR a propósito do futuro encerramento de unidades do CHMT”. Em causa está uma notícia divulgada pela Rádio Renascença segundo a qual, “é quase inevitável, no âmbito do novo mapa hospitalar que o Ministério da Saúde tem em estudo, a região do Médio Tejo venha a perder um ou dois dos três atuais hospitais”. Transcrevemos seguidamente a notícia difundida pela Rádio Renascença, hoje às 16h50, pela jornalista Dora Pires:

“O administrador do Centro Hospitalar do Médio Tejo anda hoje de hospital em hospital a explicar a reorganização de serviços em Tomar, Abrantes e Torres Novas. A Renascença teve acesso ao plano.

A partir de 1 de Março - de acordo com o que estava previsto desde 2008 -, Abrantes passa a ter a única urgência médico-cirúrgica da região e uma ambulância de emergência médica e reanimação.

Os hospitais de Tomar e Torres Novas passam a ter apenas urgência básica e ambulâncias com suporte imediato de vida.

Mas há mais mudanças. Já no fim deste mês, Torres Novas concentra o serviço de cirurgia geral, Abrantes o serviço de ortopedia e Tomar o bloco operatório e o serviço de otorrinolaringologia.

Em contrapartida, fecha em Tomar o serviço de medicina interna que se mantém nos outros dois hospitais.

Esta reorganização é apenas o primeiro passo. É quase inevitável, no âmbito do novo mapa hospitalar, que o Ministério da Saúde tem em estudo, a região do Médio Tejo venha a perder um ou dois dos três atuais hospitais.”



publicado por Carlos Gomes às 20:37
link do post | favorito
|

Segunda-feira, 2 de Janeiro de 2012
DEPUTADO BAETA NEVES FEZ HÁ 32 ANOS UMA INTERVENÇÃO NA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA QUE MERECE SER RELEMBRADA

No decorrer da 4ª Sessão legislativa da I Legislatura da Assembleia da República, o deputado centrista Baeta Neves eleito pelo círculo eleitoral de Santarém, fez uma intervenção na reunião plenária daquele órgão, ocorrida em 30 de Maio de 1980, sob a presidência do Dr. António Arnaut, referindo vários problemas que então se levantavam ao desenvolvimento do distrito.

Algumas das questões colocadas também dizem respeito ao Concelho de Ourém. E, porque além do seu interesse como um registo do passado recente, aquela intervenção possui ainda algumas particularidades interessantes, transcrevemos na íntegra conforme o constante no Diário da Assembleia da República.

Sr. Presidente, Srs. Deputadas: O distrito de Santarém item sido de há muito considerado como uma região possuidora de grandes potencialidades, especialmente no sector agrícola, mas também com uma industrialização já bastante acentuada nalgumas áreas, como é o caso da zona de Torres Novas – Tomar – Abrantes, que a própria OCDE já reconheceu como constituindo um subpólo de desenvolvimento.

Apesar, porém, desta sua riqueza potencial existe por todo o distrito um longo rol de carências, sendo algumas delas problemas que vêm arrastando-se de há anos e que urge, de uma vez por todas, encarar frontalmente, com espírito de total abertura à sua resolução...

Já na presente sessão legislativa foram aqui trazidos alguns desses problemas. Às preocupações então aqui expressas pelos meus colegas da maioria parlamentar não posse: deixar de manifestar inteiro apoio. Não é evidentemente possível, no curto espaço de tempo que poderá durar esta intervenção, apontar exaustiva e minuciosamente todas as questões que se põem ao distrito de Santarém e que mereciam referência, ligeira que fosse.

Sr. Presidente, Srs. Deputados: Já aqui foi mencionada a situação em que se encontra o sistema rodoviário no distrito, assumindo particular acuidade e gravidade o péssimo estado; da maioria das estradas do neste do distrito. Menção concreta mereceu, então a necessidade de encarar com urgente e especial a denominada estrada nacional n.º 3. Outros casos há, porém, que merecem igual menção neste campo e para os quais chamamos a devida atenção.

Um deles é o cavo da estrada que liga Leiria a Tomar, em relação à qual se verifica uma premente necessidade de substituição integral do seu piso por um novo e, inclusive, a correcção do seu traçado num ou noutro lado. Não se poderá protelar por muito mais tempo a concretização desta obra, sob pena de qualquer dia, muito proximamente, esta via os tornar intransitável em alguns pontos do seu traçado.

Necessário e urgente se torna também projectar em definitivo e construir imediatamente a seguir as variantes à estrada nacional n.º 110 que hão-de envolver Tomar por nascente e poente e desviar do centro desta cidade todo o tráfego, e é muito, que a ela não se destina eu dela parte, mas que é um «tráfego meramente de passagem.

Não se trata tão-só de solucionar os constantes e por vezes prolongados engarrafamentos de trânsito dentro da cidade com as consequentes demoras desse tráfego, sempre dispendiosas e enervantes, possibilitando o seu mais fácil escoamento, mas ainda e também de uma forma de despoluição da própria cidade e de uma substancial melhoria da sua habitabilidade.

Outra carência grave dentro do sistema rodoviário se faz sentir muito agudamente no concelho de Constância. Constância é um concelho com uma característica particular, dado encontrar-se geograficamente dividido em duas partes, totalmente separadas uma da outra por toda a largura do rio Tejo, sem qualquer comunicação entre si, se exceptuarmos pequenos barcos que transportam apenas pessoas de uma para outra margem. As comunicações actualmente existentes entre as zonas norte e sul do concelho só são possíveis ou pela ponte de Abrantes ou pela ponte da Chamusca. A distância de escassas centenas de metros que separa as duas partes do concelho transforma-se assim em muitas dezenas de quilómetros, pela falta de qualquer ligação directa entre elas.

A grave situação que este facto cria, com todos os transtornos que daí advêm para as populações do concelho, não precisa de ser demonstrada ou sequer encarecida. A solução definitiva estará certamente na construção na zona de uma ponte sobre o Rio Tejo. Mas porque se trata de obra de grande envergadura, dispendiosa e principalmente demorada na sua execução, outra solução, mesmo provisória, deverá ser encarada a curto prazo, sem prejuízo da solução definitiva apontada. E tal solução parece possível. Com efeito, existe um pouco a sul da sede do concelho, uma ponte de caminho de ferro, que actualmente já não é utilizada, dado que a CP construiu uma outra que entrou em funcionamento há algum tempo atrás. Verificadas que sejam devidamente, e por técnicos competentes, as condições de segurança da antiga ponte, e à primeira vista tais condições existem, e feita as devidas obras de adaptação, nomeadamente o necessário tabuleiro, será possível utilizá-la para o tráfego rodoviário e suprir assim a carência total que se verifica na ligação entre as duas partes do concelho de Constância. De notar que não seriam, porém, só as populações de Constância que 'beneficiariam com tal solução, mas também as do concelho de Vila Nova da Barquinha e de outras zonas limítrofes, sem esquecer todo o pessoal que, prestando serviço no campo de Santa Margarida, tem a sua residência a norte do Tejo.

Tanto quanto sabemos, entre as Câmaras: de Constância e Barquinha e o respectivo Ministério já foram encetados contactes promissores, tudo indicando ser possível conseguir uma forma de cooperação para a boa solução deste caso.

Uma outra comunicação também já há/muito reclamada pelas populações interessadas é a da construção de uma ponte sobre a albufeira da barragem do Castelo de Bode, ligando directamente os concelhos de Ferreira do Zêzere e de Vila de Rei. Concelhos vizinhos, com longa tradição de intercomunicação entre si, viram as suas relações de vizinhança dificultadas com a existência da albufeira. Não deixaram porém e, por isso, de manter profundos contactos, pelo menos os que Mas eram possíveis face às dificuldades de ligação existentes. Ë elemento importante ao desenvolvimento económico de qualquer deles que venha a ser construída esta via de comunicação. Além de que, a existir, seria mais uma e importante via de penetração para o interior com todas as consequências positivas que daí resultariam no desenvolvimento do interior desta zona do País.

Sr. Presidente, Srs. Deputados: Nesta limitada intervenção não posso passar em claro a grave situação com que neste momento se debate o Hospital Distrital de Tomar. Situado na zona antiga da cidade, com acesso pouco fácil, extremamente limitado nas suas instalações, tratando-se ainda de um edifício bastante antigo, o Hospital Distrital de Tomar não possui no momento quaisquer condições que lhe permitam corresponder minimamente às necessidades e solicitações da população residente na área da sua influência.

Bastará, resumidamente, referir que tem uma capacidade máxima de cerca de 100 camas, sem possibilidade de expansão, quando o número de camas minimamente satisfatório é calculado pelos técnicos competentes em 350 e, por outro lado, que tom de diariamente ser evacuados para Lisboa ou Coimbra vários doentes, por falta de capacidade de internamento e que ali poderiam perfeitamente ser tratados, se tal capacidade existisse.

A solução para este momentoso problema não poderá pois continuar a ser, como se pretendeu que fosse até há bem pouco tempo, de remendar o que já não item remendo possível, por demasiado remendado, aniles terá de ser como parece hoje opinião assente a de encontrar uma solução de raiz com a construção de uma inova unidade a concretizar no mais curto prazo possível. E descampado que fosse o edifício do velho hospital sempre este poderia ser utilizado em outras finalidades, como, por exemplo, o de ser aí instalado um centro de da para idosos cuja carência tanto se faz sentir.

De mais fácil e rápida execução será a construção das instalações do Centro de Saúde de Vila. Nova de Ourém, obra que há tantos e tão longos anos vem sendo ansiosamente aguardada pelas populações e que tantos contratempos e demoras item sofrido, mas que tudo indica irá muito em breve e finalmente ser iniciada.

Sr. Presidente, Srs. Deputados: O distrito de Santarém possui uma notável riqueza monumental.

Bastará aqui recordar que a cidade de Santarém é considerada como a «capital do gótico» em Portugal e que em Tomar existe esse monumento único do País que é o Castelo dos Templários e Convento de Cristo, para não referir tantos outros e tão valiosos monumentos espalhados por todo o distrito.

Também neste distrito todo este valiosíssimo património cultural tem sido menosprezado, abandonado ao desgaste natural do tempo, sem que se hajam tomado as acções indispensáveis à sua conservação ou à sua recuperação quando seja caso disso.

E é assim que em resultado desta negligência se vê, por exemplo, o estado de abandono e degradação a que chegou o Castelo de Ourém ou, outro exemplo, o estado em que se encontra o Convento de Cristo a começar a transformar-se irremediavelmente numa ruína, se não houver a diligência de se lhe acudir de imediato. No Convento de Cristo existem já partes de telhados que ruíram totalmente, o mesmo tendo também acontecido ao piso de algumas salas que abateram.

Urge, pois, tomar providências imediatas para conseguir a salvaguarda deste monumento único. Mas para tanto não pode a responsabilidade deste património continuar dispersa por várias entidades que ora se atropelam, ara se abstêm mutuamente. Há que decididamente verificar as responsabilidades numa área entidade que disponha dos poderes e dos meios necessários a uma acção eficaz neste campo de primordial importância. Tem de haver, por um lado, uma vontade política firme e há que, por outro lado, buscar as disponibilidades financeiras indispensáveis.

E permita-se-me a este propósito uma sugestão que deixo à consideração das entidades responsáveis. Ao contrário do que sucede por quase todo o mundo, em Portugal não se paga para visitar os nossos movimentos. Estou em crer que deveria ser instituído o pagamento de uma quantia para esse efeito. Por muito moderada que fosse constituiria seguramente um fundo valioso a utilizar na preservação e recuperação dos nossos monumentos.

Sr. Presidente, Srs. Deputados: O tempo não dá realmente para mais. Foram estes apenas alguns exemplos concretos e que suponho passíveis de resolução dos muitos problemas que afligem o distrito de Santarém. Outros haveria a enunciar, mas cremos que estes já demonstram suficientemente as carências graves que ali existem.



publicado por Carlos Gomes às 11:17
link do post | favorito
|

Segunda-feira, 19 de Dezembro de 2011
UTENTES DA SAÚDE DO MÉDIO TEJO RECEIAM ENCERRAMENTO DE EXTENSÕES DE SAÚDE NO INÍCIO DO PRÓXIMO ANO

MAIS DIFICULDADES NO ACESSO A CUIDADOS DE SAÚDE VÃO PROVOCAR MAIS SOFRIMENTO AOS DOENTES E À POPULAÇÃO EM GERAL

Com tanto desemprego é inadmissível, o anunciado encerramento de alguns serviços de saúde de proximidade, a partir de 1 de Janeiro, por falta de enfermeiros e administrativos!

É com séria apreensão que a CUSMT constata que há o sério perigo de muitas Extensões de Saúde da Região do Médio Tejo (e não só) encerrarem a partir de 1 de Janeiro. Os concelhos mais afectados serão Abrantes, Ourém, Torres Novas e Alcanena.

Dos diversos contactos com responsáveis da saúde, nomeadamente com o Vice-Presidente da ARSLVT, Dr. Luís Pisco, feitos recentemente por estruturas de utentes, autarcas e sindicatos, apenas se pode concluir que não há solução para a substituição dos profissionais (médicos, enfermeiros e administrativos) cujos contratos de prestação de serviços acabam no fim do ano (alguns por imposição de normas governamentais).

Hipocritamente o Ministério da Saúde aumenta as taxas moderadoras dizendo, entre outros argumentos, que é para moderar o acesso às urgências hospitalares, como não soubesse que não há cuidados de saúde de proximidade suficientes. A situação tende a piorar a breve prazo, com a impossibilidade de manter abertas dezenas de Extensões de Saúde por falta de recursos humanos e, eventualmente, com o levantamento de obstáculos no acesso às urgências hospitalares do CHMT, cuja reorganização foi anunciada e com a qual não concordamos se afectar a qualidade e proximidade.

Há quem defenda que a centralização de serviços melhora a sua qualidade. Puro engano, pois a facilidade de acesso também é o factor para avaliar da qualidade. Com populações envelhecidas e solitárias, com poucos rendimentos, sem transporte próprio e/ou público, e com portagens rodoviárias,… a prestação de cuidados de saúde fica prejudicada. Mais, vai aumentar o sofrimento das pessoas e vai crescer a médio prazo a despesa do SNS.

Alertamos todos os autarcas do Médio Tejo para a possibilidade de os responsáveis locais, regionais e nacionais poderem pôr em prática a política do “facto consumado”. Encerram serviços sem aviso prévio e sem qualquer tentativa de procurar alternativas para minorar as nefastas consequências para as populações.

Promoveremos e apoiaremos (p. e. na TERÇA-FEIRA, das 18,30 às 21,00 horas, vai realizar-se uma VIGILIA em MONTALVO, concelho de Constância) todas as iniciativas que visem o reforço da prestação de cuidados de saúde de proximidade.

A Comissão de Utentes da Saúde do Médio Tejo

Médio Tejo, 19.12.2011



publicado por Carlos Gomes às 22:56
link do post | favorito
|

Quinta-feira, 17 de Novembro de 2011
QUERCUS VAI PASTAR CABRAS NA SERRA DE AIRE

De acordo com o site da organização, a Quercus tem em curso um projecto de repovoamento das Serras de Aire e Candeeiros com gado caprino, o qual conta com o apoio do Programa Life + “Habitats Conservation”, da União Europeia. Este projecto tem como principais objectivos a conservação dos habitats prioritários e prevenir fogos.

cabra

Segundo a Quercus, “as acções previstas serão executadas na Serra de Aire, nas freguesias de Fátima e de Pedrógão (concelhos de Ourém e Torres Novas, respectivamente). A gestão será efectuada através do controle selectivo da vegetação herbácea e arbustiva, utilizando meios mecânicos, bem como recorrendo ao pastoreio extensivo com cabras de raça serrana (variedade ribatejana), adequando estas acções às necessidades de conservação dos valores em presença. Será também incentivada a colheita sustentável e a comercialização de plantas aromáticas, medicinais e condimentares. Pretende-se ainda que o projecto envolva parceiros locais, demonstrando que é possível conservar a biodiversidade recorrendo ao uso sustentável dos recursos naturais, de forma a garantir suporte económico para a continuação das acções de conservação a longo prazo”.

Como é sabido, a campanha de florestação realizada durante o Estado Novo está em grande medida na origem da redução dos baldios, do aparecimento de matilhas de cães que foram vestindo a pele do lobo e da consequente redução do pastoreio de montanha. Por conseguinte, a não ser que as cabras dizimem a vegetação arbustiva, o repovoamento não colida com outros interesses e os pastores não provoquem incêndios florestais como por vezes tem sido notícia, é provável que a iniciativa da Quercus venha a ser bem sucedida e a Serra de Aire venha a ficar povoada de cabras. Pelo menos, apesar dos tempos de crise que atravessamos, a União Europeia ainda vai conseguindo criar rebanhos na Serra de Aire.



publicado por Carlos Gomes às 09:18
link do post | favorito
|

Quinta-feira, 22 de Setembro de 2011
HOSPITAIS DE TOMAR E TORRES NOVAS ENCERRAM AS URGÊNCIAS

De acordo com notícia avançada pela SIC, o Conselho de Administração do Centro Hospitalar do Médio Tejo vai encerrar as urgências de Tomar e Torres Novas. A funcionar ficará apenas o serviço de urgência do Hospital de Abrantes. Esta medida é tomada antes da conclusão da nova Carta Hospitalar.



publicado por Carlos Gomes às 00:57
link do post | favorito
|

Quarta-feira, 14 de Setembro de 2011
EDUARDO REIS APRESENTA A SUA POESIA NA BIBLIOTECA MUNICIPAL DE OURÉM

“Fragmentos de gente perdida” é o título do livro de poemas da autoria de Eduardo Reis cuja apresentação, seguida de sessão de autógrafos, está marcada para o próximo dia 24 de Setembro, às 17 horas, na Biblioteca Municipal de Ourém.

A apresentação desta obra insere-se nas sessões (Con)Tributos que constituem um excelente meio de dinamização cultural que a Biblioteca Municipal vem realizando com vista a colocar os oureenses em contacto com os escritores e a sua obra literária. Eduardo Reis é um jovem escritor, estudante de Psicologia, em Lisboa, a sua cidade predilecta. Natural de Torres Novas, tem raízes na Freguesia de Alburitel, do Concelho de Ourém.

fragmentosdegenteperdid

Título: Fragmentos de Gente Perdida

Autor: Eduardo Reis

Colecção: Prazeres Poéticos

Páginas: 158

Género: Poesia

Sinopse:

Não compreendo o sucedido Estou atónito, embasbacado Com o destino incertoQue me achou indicado. É partir de agora Que emerge a mensagem "Vou mudar o mundo" Lutando sempre com coragem. E nem é complicada A minha missão.Faço-a com orgulho, Faço-a de coração.

Eduardo Reis nasceu no último dia do ano de 1992, ás 11:30 da manhã, com alguma dificuldade.

Passou os 17 anos seguintes a viver numa pequena aldeia nos arredores de Torres Novas, onde cultivou o interesse por todas as Ciências e Artes, investindo horas e horas debruçado sobre inúmeras enciclopédias e livros dos mais diversos géneros.

Adora cinema, chá e uma boa noite com os amigos!

Está actualmente a frequentar o primeiro ano da Licenciatura em Psicologia, em Lisboa, a sua cidade predilecta.

Fonte: http://www.chiadoeditora.com/



publicado por Carlos Gomes às 00:16
link do post | favorito
|

Terça-feira, 13 de Setembro de 2011
ESCRITOR EDUARDO REIS APRESENTA “FRAGMENTOS DE GENTE PERDIDA”

297847_215734701821116_100001537631921_585257_4139

“Fragmentos de gente perdida” é o título do livro de Eduardo Reis cuja apresentação seguida de sessão de autógrafos está marcada para o próximo dia 24 de Setembro, às 17 horas, na Biblioteca Municipal de Ourém. Esta iniciativa insere-se nas sessões (Con)Tributos que constituem um excelente meio de dinamização cultural que a Biblioteca Municipal vem realizando com vista a colocar os oureenses em contacto com os escritores e a sua obra literária.

Eduardo Reis é um jovem escritor, estudante de Psicologia, em Lisboa, a sua cidade predilecta. Natural de Torres Novas, tem raízes na Freguesia de Alburitel, do Concelho de Ourém.



publicado por Carlos Gomes às 16:50
link do post | favorito
|

Quinta-feira, 8 de Setembro de 2011
DEPUTADO ANTÓNIO FILIPE (PCP) PERGUNTA AO GOVERNO QUAIS OS SERVIÇOS QUE VÃO SER AFECTADOS PELO CORTE DE VERBAS NA ÁREA DO ACES SERRA DE AIRE

O deputado António Filipe, do PCP, acaba de questionar o Governo acerca da intenção do Ministério da Saúde proceder ao corte de verbas para contratação de enfermeiros e administrativos pelo ACES Serra de Aire, de acordo com a informação transmitida por esta entidade à Comissão de Utentes da Saúde do Médio Tejo em reunião recentemente realizada com o respectivo Coordenador.

O referido deputado perguntou “ao Ministério da Saúde se confirma a intenção de reduzir em 60 por cento a verba para a contratação de enfermeiros e administrativos pelo ACES Serra de Aire e, caso confirme, que serviços vão ser afectados e que medidas vão ser tomadas para minorar os prejuízos causados aos utentes por essa decisão”.

capture1



publicado por Carlos Gomes às 07:55
link do post | favorito
|

Quarta-feira, 7 de Setembro de 2011
COMISSÃO DE UTENTES DA SAÚDE DO MÉDIO TEJO MANIFESTA-SE CONTRA CORTES NA CONTRATAÇÃO DE ENFERMEIROS E ADMINISTRATIVOS

A Comissão de Utentes da Saúde do Médio Tejo considera “grave” a informação de que o Agrupamento de Centros de Saúde “Serra d’Aire” vai ter um corte de 60 por cento para contratação de enfermeiros e administrativos.

O porta-voz da comissão, Manuel José Soares, disse à agência Lusa que a informação foi comunicada numa reunião realizada hoje com o coordenador daquele ACES, com o qual foi discutida ainda a situação dos cinco médicos costa-riquenhos que se encontram há meses à espera de autorização para começarem a dar consultas.

Segundo disse o porta-voz, a concretizar-se no quarto trimestre do ano o corte de 60 por cento da verba que tem vindo a ser paga a uma empresa de prestação de serviços para contratação de enfermeiros e administrativos, há uma série de serviços que serão postos em causa na região.

Manuel José Soares disse à Lusa que a informação hoje disponível é a de que os médicos da Costa Rica irão receber em breve as cédulas para poderem começar a dar consultas, correndo o risco de, depois, não terem enfermeiros nem administrativos, já que, a confirmar-se o corte, o ACES terá de dispensar “meia dúzia de enfermeiros e meia dúzia de administrativos”.

Manuel Soares lembrou que os médicos costa-riquenhos, que têm estado a receber salário, estão impedidos de consultar apenas por questões burocráticas – já que passaram nos testes técnicos e de língua portuguesa, mas não existia um protocolo entre os dois países reconhecendo as suas habilitações.

Sublinhando que existem várias situações preocupantes no Médio Tejo, tanto ao nível dos cuidados primários como no Centro Hospitalar do Médio Tejo, o porta-voz da comissão adiantou que, numa reunião agendada para o fim da tarde de hoje, vão ser preparadas algumas acções com vista à criação de um movimento de opinião.

Essas acções visam chamar a atenção para os custos que representa o desinvestimento nos cuidados primários, com o consequente sobre carregamento das urgências e dos serviços hospitalares, para já não falar do aumento dos tempos de espera e do agravamento do sofrimento para as populações.

“Uma coisa é cortar despesa, outra é cortar serviços”, disse. A Comissão vai convidar os deputados eleitos pelo Distrito de Santarém a estarem presentes nas acções que vai realizar em alguns locais, para identificação de casos concretos que põem em causa a prestação de serviços essenciais às populações, adiantou.



publicado por Carlos Gomes às 13:58
link do post | favorito
|

Quarta-feira, 31 de Agosto de 2011
COMISSÃO DE UTENTES DE SAÚDE DO MÉDIO TEJO E DIRECTOR DO AGRUPAMENTO DOS CENTROS DE SAÚDE “SERRA D’AIRE” REÚNEM-SE EM RIACHOS

A Comissão de Utentes da Saúde do Médio Tejo e o Director Executivo do Agrupamento de Centros de Saúde “Serra D’Aire” vão reunir na próxima Segunda-feira, dia 5 de Setembro, pelas 11h30, na Extensão de Saúde de Riachos. Refira-se que esta reunião encontrava-se inicialmente prevista para o próximo dia 2 de Setembro.

O Agrupamento de Centros de Saúde “Serra D’Aire”, com sede em Torres Novas, engloba os centros de saúde de Ourém, Fátima, Alcanena, Entroncamento e Torres Novas.

A reunião em causa realiza-se a pedido da Comissão de Utentes da Saúde do Médio Tejo e tem como objectivo debater diversos aspectos do sector como o encerramento e reabertura de unidades de saúde, o processo de integração dos médicos estrangeiros, o acesso e utilização dos sistemas informáticos e a estratégia para a resolução do problema de carência de recursos humanos.

De acordo com a missiva da Comissão de Utentes endereçada ao Director Executivo do ACES no passado dia 23 de Agosto, “os Cuidados de Saúde Primários têm sido alvo, nos últimos anos, de um conjunto de medidas que alteraram profundamente a sua organização”, considerando que “tal facto não resolveu alguns dos seus principais problemas como a falta de recursos humanos, sem os quais não é possível a prestação de cuidados de saúde de proximidade”. E, conclui: “Muitas das medidas aplicadas e/ou programadas estão presentemente em causa ou não se sabe da sua viabilidade, face às intenções (às vezes contraditórias) anunciadas pelos responsáveis governamentais”.



publicado por Carlos Gomes às 19:55
link do post | favorito
|

Domingo, 28 de Agosto de 2011
COMISSÃO DE UTENTES DE SAÚDE DO MÉDIO TEJO REÚNE-SE COM DIRECTOR DO AGRUPAMENTO DOS CENTROS DE SAÚDE “SERRA D’AIRE”

A Comissão de Utentes da Saúde do Médio Tejo vai reunir na próxima Sexta-feira, dia 2 de Setembro, com o Director Executivo do Agrupamento de Centros de Saúde “Serra D’Aire”. Este Agrupamento, com sede em Torres Novas, engloba os centros de saúde de Ourém, Fátima, Alcanena, Entroncamento e Torres Novas.

csourem

A reunião em causa realiza-se a pedido da Comissão de Utentes da Saúde do Médio Tejo e tem como objectivo debater diversos aspectos do sector como o encerramento e reabertura de unidades de saúde, o processo de integração dos médicos estrangeiros, o acesso e utilização dos sistemas informáticos e a estratégia para a resolução do problema de carência de recursos humanos.

De acordo com a missiva da Comissão de Utentes endereçada ao Director Executivo do ACES no passado dia 23 de Agosto, “os Cuidados de Saúde Primários têm sido alvo, nos últimos anos, de um conjunto de medidas que alteraram profundamente a sua organização”, considerando que “tal facto não resolveu alguns dos seus principais problemas como a falta de recursos humanos, sem os quais não é possível a prestação de cuidados de saúde de proximidade”. E, conclui: “Muitas das medidas aplicadas e/ou programadas estão presentemente em causa ou não se sabe da sua viabilidade, face às intenções (às vezes contraditórias) anunciadas pelos responsáveis governamentais”.

Fonte: http://usmt.blogs.sapo.pt/



publicado por Carlos Gomes às 13:57
link do post | favorito
|

Sexta-feira, 26 de Agosto de 2011
TORRES NOVAS RECUPERA ESTRADA DO ALVORÃO

O principal acesso de Torres Novas à freguesia da Chancelaria, e uma das ligações ao concelho de Ourém, a estrada do Alvorão, era há anos um dos “pontos negros” do mapa rodoviário do concelho de Torres Novas. Durante anos se ouviu falar na necessitada intervenção, havendo quem remonte há duas décadas atrás o desejo de ver ali uma via nova. A intervenção teve “luz verde” em Julho e já se podem ver as máquinas a fazer o alargamento da via.

p1_alvorao_grd

Esta era uma obra há muito desejada por quem se serve daquela estrada, uma das principais vias de ligação à zona norte do concelho, e mais concretamente à freguesia da Chancelaria. Durante anos a fio ouviu-se o Presidente da Junta da Chancelaria clamar por um arranjo, por uma caminho decente e desta vez as suas preces parecem ter sido ouvidas. Quem ali passasse sabia que era uma via cheia de “armadilhas”, com buracos atrás de buracos, lombas e outras irregularidades no alcatrão. Era considerada por muitos uma das estradas mais perigosas do concelho.

Em declarações a “O Almonda” o Presidente da Câmara, António Rodrigues, explicou que não se pôde antes avançar com a obra por esta ser «muito cara» e só agora foi possível, através de fundos comunitários. Esta é uma obra que irá custar um milhão de euros e que visa melhorar muito aquela via, pois para além do alargamento irá ter uma via pedonal, que servirá para que o trajecto a pé e de bicicleta se possa realizar em segurança. E sendo uma das principais ligações a Fátima, utilizada por muitos peregrinos, será com certeza, uma melhoria bem acolhida.

Fonte: Luís Miguel Lopes / O Almonda, em http://oalmonda.net/



publicado por Carlos Gomes às 10:10
link do post | favorito
|

Quarta-feira, 24 de Agosto de 2011
FORCADOS JUVENIS DE RIACHOS ESTREIAM-SE EM OURÉM

O jornal “O Riachense” na sua edição de hoje publica um artigo acerca do Grupo de Forcados de Riachos, um grupo de jovens aficionados que teve recentemente a sua estreia em Toucinhos, no Concelho de Ourém. Transcrevemos o artigo com a devida vénia ao jornal “O Riachense”.

forcadosrx

Em cima: Manuel Santana, Pedro Abelho, Humberto Simões. Em baixo: Ângelo Abelho, Fernando Pedro Fetal, Martim Nunes, José Maria da Luz, Afonso Serra e Manuel Fetal

Forcados juvenis de Riachos estreiam-se nas lides

O futuro do Grupo de Forcados de Riachos parece estar assegurado. Isto porque um grupo de dez jovens aficionados riachenses, sem qualquer ligação aos mais velhos, uniu-se para pegar bezerras, contando já com uma apresentação no currículo. Começou a praticar ainda neste Verão, sob a orientação do “cabo” Manuel Fetal, nos picadeiros de Riachos e no tentadero da quinta de Miranda. E já há mais interessados em se juntarem a estes corajosos rapazes.

A estreia do Grupo de Forcados Juvenis do Futuro de Riachos aconteceu a 7 de Agosto, em Toucinhos, Ourém, num festival taurino presenciado por cerca de um milhar de pessoas, onde actuaram também a cavaleira amadora Andreia Oliveira e Rui Estevão (Serranito) e Daniel Nunes no toureio a pé.

O debute até correu bem, uma vez que Pedro Abelho pegou uma vaca à primeira tentativa e Fernando Pedro Fetal pegou um bezerro igualmente à primeira. O grupo fez ainda demonstração de cernelhas, sendo muito aplaudido.

Fonte: http://www.oriachense.pt/



publicado por Carlos Gomes às 16:39
link do post | favorito
|

Quinta-feira, 7 de Julho de 2011
COMUNIDADE INTERMUNICIPAL DO MÉDIO TEJO APROVA NOVO REGULAMENTO INTERNO

Foi ontem publicado em Diário da República, o Despacho nº 8942/2011 que torna público a deliberação tomada pela Assembleia Intermunicipal da Comunidade intermunicipal do Médio Tejo, reunida em sessão ordinária do passado dia 29 de Novembro, no sentido da aprovação da alteração ao Regulamento Interno daquela entidade de que o Município de Ourém faz parte.

Além de Ourém, integram ainda a Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo os municípios de Abrantes, Alcanena, Constância, Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Mação, Sardoal, Tomar, Torres Novas e Vila Nova da Barquinha.

O novo Regulamento Interno pode ser consultado directamente em http://dre.pt/pdf2sdip/2011/07/128000000/2847028474.pdf

Do seu preâmbulo, consta o seguinte:

“Na sua organização interna pretende -se que a Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo, no desenvolvimento da actividade, se paute por uma gestão enformada pela economia, eficiência e eficácia, no seio de uma política que privilegie a racionalização e a simplificação. Por isso, opta -se por um modelo que assenta em determinadas preocupações, designadamente no que resulta das potencialidades oferecidas pela sociedade da informação, a par de uma estrutura organizativa o mais simples possível mas dotada de instrumentos que pretendem assegurar a qualidade da gestão em geral e a rapidez e adequação das tarefas, em especial.

No plano externo, o que está em causa é responder ao desafio do desenvolvimento com qualidade e às necessidades de bem -estar das populações da área geográfica dos municípios integrantes. Para tanto, importa que a Comunidade se organize de forma a satisfazer os desígnios subjacentes ao espírito da lei de criação, visando a coesão territorial e a integração económica internas e a competitividade externa.

O desenvolvimento verificado nas atribuições e competências da Comunidades Intermunicipais, exige, por outro lado, que as mesmas se dotem de estruturas e meios técnicos eficazes capazes de responder às solicitações dos Municípios e por forma a assegurar uma cada vez maior coordenação técnica.

Desta forma a nova orgânica estabelece um conjunto de serviços que reflecte a preocupação fundamental de traçar e desenvolver linhas de planeamento e gestão estratégica, bem como assessoria capazes de assegurar o apoio eficaz aos municípios e de promover adequadas ligações com Instituições e Entidades Públicas.

No plano interno, procuram -se as soluções concretamente mais adequadas nos domínios da programação, planeamento e execução orçamental, organização, sistemas de informação, gestão de recursos humanos, gestão financeira e patrimonial, instalações e logística e apoio aos municípios integrantes.

Criam -se, por isso, soluções suficientemente flexíveis por forma a permitirem a sua utilização imediata à medida que a modificação do ambiente externo o torne exigível.”



publicado por Carlos Gomes às 19:46
link do post | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Setembro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


posts recentes

MUSEU DE OURÉM APRESENTA ...

UTENTES DA SAÚDE DO MÉDIO...

UTENTES DA SAÚDE REALIZAM...

UTENTES DA SAÚDE REALIZAM...

UTENTES DA SAÚDE REALIZAM...

UTENTES DA SAÚDE REALIZAM...

UTENTES DA SAÚDE REALIZAM...

DELEGAÇÃO DO MUSEU MUNICI...

OFERTAS DE EMPREGO GIP DE...

IDOSOS DE OURÉM PARTICIPA...

OURÉM ORGANIZA PASSEIO SÉ...

UTENTES DA SAÚDE DO MÉDIO...

JUVENTUDE OURIENSE DANÇA ...

JUVENTUDE OURIENSE DANÇA ...

JUVENTUDE OURIENSE DANÇA ...

UTENTES DE SAÚDE DE OURÉM...

GRUPO "DEOLINDA" ATUA AMA...

GRUPO "DEOLINDA" ATUA EM ...

CHORUS AURIS PARTICIPA NO...

UTENTES DA SAÚDE DO MÉDIO...

UTENTES DE SAÚDE DO MÉDIO...

UTENTES ORGANIZAM VIGÍLIA...

CONCURSO DE FOTOGRAFIA VA...

OURÉM: COMPANHIA DE TEATR...

COMPANHIA DE TEATRO “FATI...

UTENTES DE SAÚDE CONTESTA...

DEPUTADO SOCIAL-DEMOCRATA...

UTENTES DE SAÚDE REÚNEM C...

REGIÃO DO MÉDIO TEJO PODE...

DEPUTADO BAETA NEVES FEZ ...

UTENTES DA SAÚDE DO MÉDIO...

QUERCUS VAI PASTAR CABRAS...

HOSPITAIS DE TOMAR E TORR...

EDUARDO REIS APRESENTA A ...

ESCRITOR EDUARDO REIS APR...

DEPUTADO ANTÓNIO FILIPE (...

COMISSÃO DE UTENTES DA SA...

COMISSÃO DE UTENTES DE SA...

COMISSÃO DE UTENTES DE SA...

TORRES NOVAS RECUPERA EST...

FORCADOS JUVENIS DE RIACH...

COMUNIDADE INTERMUNICIPAL...

arquivos

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

tags

todas as tags

links
Twitter
blogs SAPO
subscrever feeds